Santa Cruz também quer ter “Nómadas Digitais”

A vereadora Élia Ascensão, da Câmara Municipal de Santa Cruz, escreveu ao secretário regional da Economia, Rui Barreto, manifestando “a disponibilidade e interesse do concelho de Santa Cruz em acolher trabalhadores remotos no âmbito da iniciativa ‘Nómadas Digitais'” e dizendo mesmo que “já fomos contactados por elementos ligados ao projecto”.

“Consideramos tratar-se de uma iniciativa de elevado mérito que em muito iria incrementar a dinamização e atractividade do nosso concelho, num momento em que ela é tão necessária para o período de pós-confinamento que estamos todos a viver, e que no caso de Santa Cruz ganha especial relevância porque iria trazer benefícios a um tecido empresarial marcado pela hotelaria e similares”, refere a responsável.

“Contudo”, alerta, “para a realização cabal deste projecto é necessário a união de esforços de várias entidades. A Câmara Municipal de Santa Cruz está disponível para viabilizar a cobertura wi-fi generalizada dos seus principais centros urbanos, estando também aberta a disponibilizar espaços de trabalho na emblemática
Casa da Cultura, Quinta do Revoredo. No entanto, e dado o número crescente destes trabalhadores remotos e as próprias potencialidades do concelho de Santa Cruz para os acolher, consideramos estratégico antecipar a necessidade de disponibilizar mais espaços”, acrescenta. E é nesse sentido que pede a colaboração do governante com a pasta da Economia.

“Embora reconhecendo que não seria o ideal, aproveitamos oportunidade para lembrar uma infraestrutura que está neste momento ao abandono e sem qualquer rentabilidade. Referimo-nos ao edifício da Boaventura, gerido pela Sociedade de Desenvolvimento”, especifica. “Estamos em crer que a recuperação e optimização daquele espaço associado a um projecto como o dos Nómadas Digitais ou outro, representaria não apenas o aproveitamento de um investimento do Governo Regional que neste momento não tem qualquer rentabilidade, estando, inclusive, a degradar-se numa zona nobre da cidade de Santa Cruz, mas também traria efeitos multiplicadores para a economia do concelho”.