Advogados desentendem-se no Funchal e acabam em vias de facto

Uma altercação entre um advogado e uma advogada conduziu a alegações de violência física. A circunstância, avançada ontem à noite pelo blogue “Madeira Ponto”, dá conta de uma situação embaraçosa que se terá verificado no Tribunal Judicial do Funchal, entre os causídicos João Alberto Freitas e Carla Ilharco. Esta última queixou-se de ter sido agredida, publicando nas redes sociais, nomeadamente na página de Facebook “Advogados – Portugal” a seguinte descrição: “Hoje advogada agredida por outro advogado João alberto Freitas no tribunal judicial do Funchal … INCRÍVEL!”. A circunstância foi subscrita na mesma página pública dedicada aos temas da advocacia, pela também causídica Maria João Nepomuceno, que escreveu isto: “Eu assisti , a Colega foi agredida mesmo de forma violenta. Surreal o que assisti hoje , aliás temo ter diligências com esse advogado. Vergonhoso!”

Aparentemente, os advogados, que representavam diferentes partes, sendo que Carla Ilharco, segundo Maria João Nepomuceno, era “advogada em causa própria”, travaram-se de razões e a discussão acabou em confrontação física.

Carla Ilharco publicou mesmo uma fotografia da sua cara nesta página da rede social, exibindo um aparente hematoma.

A situação conduziu outros advogados que comentavam o caso naquela página do Facebook a salientar que não é a primeira vez que acontece um caso deste tipo, remetendo para uma notícia do Funchal Notícias publicada a 26 de Fevereiro de 2019, na qual se narrava uma outra altercação entre dois advogados na cidade, nomeadamente entre João Alberto Santos Freitas e António Franco Fernandes, numa loja de fotocópias na Rua do Bispo, Na ocasião, ouvimos a versão de ambos, e cada um acusou o outro de perpetrar a agressão, desenvolvendo-se posteriormente diligências processuais.

A altercação de ontem, aparentemente, aconteceu perante numerosas pessoas, e a versão contada no “Madeira Ponto” dá a entender que houve agressões mútuas. O FN ainda não o pôde fazer, mas pretende ouvir, naturalmente, a versão de João Alberto Freitas contra as acusações de que foi alvo, logo que nos seja possível.

Actualização: a 27/11/2020 à noite ainda não tínhamos conseguido ouvir a versão deste advogado, apesar dos nossos telefonemas e mensagens escritas para o telemóvel do mesmo.