CMF aprova projectos de urbanismo e identifica imóveis devolutos

Na primeira reunião da Câmara Municipal do Funchal realizada após o regresso do Estado de Emergência, e que hoje se realizou, foi apresentado, no período de antes da ordem do dia, uma série de obras que o executivo tem desenvolvimento, mormente na área dos investimentos em redes de águas e de saneamento básico. Este, disse o edil Miguel Gouveia, foi precisamente o caso de uma obra que foi concluída no Caminho de Santo António, que está já reaberto à circulação para o trânsito automóvel. O presidente citou ainda uma obra de acessibilidade nas zonas altas do Funchal, no Curral Velho, que, afirma, “permitirá o acesso rodoviário a uma área de influência de cerca de 20 famílias”, e que tenta reduzir as assimetrias entre as zonas altas do Funchal e o centro.

Já no período da ordem do dia, foram aprovadas três deliberações ligadas ao urbanismo, particularmente em relação à questão dos prédios devolutos. Os mesmos, admitiu, “têm sido nos últimos anos um foco de problemas”  e por isso a CMF, declarou, tem procurado criar condições favoráveis à reabilitação dos mesmos.

“Hoje aprovámos benefícios fiscais para um desses imóveis, que foi reabilitado aqui na zona da Praça do Carmo, e identificámos um conjunto de outros imóveis que estão ainda devolutos no centro da cidade, para classificá-los dessa forma, numa tentativa de garantir quer a segurança de pessoas e bens, que estes prédios podem colocar em risco, quer situações de insalubridade que podem advir da presença deste tipo de prédios no centro da cidade”, informou.

Uma outra obra de urbanismo foi aprovada, um projecto de habitação de 93 fogos, que poderá ir agora para o terreno. Trata-se de um projecto na zona das Virtudes, que terá também dois espaços comerciais. “Compete à Câmara ser amiga do investimento”, concluiu.