RIR pede investigação do MP e do Tribunal de Contas à Sociohabita Funchal e à FrenteMar

O Partido RIR acha estranha a substituição do Administrador da Sociohabita Funchal, pelo ainda Administrador da empresa FrenteMar Funchal.

“Todos sabemos que quer a FrenteMar, quer a Sociohabita, vêm apresentando prejuízos de milhões, ou resultados irrisórios nas suas contas anuais e que têm sido usadas como polo de emprego, com salários milionários, para alguns preveligiados do Partido Socialista ou próximos deste, empresas estas que já deveriam estar fechadas à muito tempo, mas que não estão, apenas e só pela facilidade, que estas oferecem para a criação de postos de trabalho, com salários milionários”, revela um comunicado assiando por Roberto Vieira.

O RIR apela às entidades competentes, uma investigação minuciosa a estas empresas, “pois existe matéria mais que suficiente para as investigar, as denuncias feitas em Assembleia Municipal pelos diferentes partidos da oposição e deputados independentes, têm caído em saco roto, pelo que é urgente a intervenção do Ministério Público e do Tribunal de Contas”.

“A FrenteMar Funchal já deveria estar encerrada pela força da lei, uma vez que vem dando prejuízos todos os anos, o que não pode acontecer numa empresa pública, ditando assim o seu encerramento. A Sociohabita não tendo prejuízos, também não tem tido resultados positivos, ditando uma urgente reflexão sobre os resultados miseráveis da mesma, para não falar nos supostos favorecimentos e falta de critérios rigorosos para a atribuição de habitação social”, revela.