CDU vem propor que se crie no Funchal o “Conselho Municipal de Segurança”

A CDU desenvolveu uma iniciativa política relacionada com a necessidade de ser assegurada a segurança das populações. A deputada municipal, Herlanda Amado, afirmou que “a crescente onda de insegurança que atinge o concelho do Funchal, não pode ser dissociada de um conjunto de factores, entre eles o agravamento dos problemas sócio-económicos por que passam milhares de pessoas. Sendo certo que alguns problemas também estão relacionados com o desinvestimento do Estado, não garantindo os meios humanos e materiais das forças de segurança para um policiamento de proximidade, encerrando postos de policia, como o que existia no Bairro da Nazaré onde nos encontramos, também não é menos verdade que esta situação exige uma intervenção multidisciplinar em várias áreas tendo que ser encontradas várias formas de intervir quer pelo Serviço Regional de Saúde e pela Segurança Social, mas também pelos Municípios”, disse, no decorrer da acção.

Para a CDU, as recentes preocupações demonstradas pelo Executivo da Câmara Municipal, pela voz do edil, “com a crescente onda de insegurança que atinge o concelho do Funchal, onde afirmou que “a Câmara vai liderar politicamente o combate ao vandalismo, à criminalidade e à insegurança na cidade, o que implica criar uma plataforma de articulação entre todas as entidades envolvidas, respeitando as competências de cada uma delas”, (fim de citação Pres. CMF), são preocupações que devem mobilizar todos as entidades neste combate à insegurança”, referem os comunistas.

Neste sentido, a Representação Municipal da CDU deu entrada hoje na Assembleia Municipal do Funchal uma Proposta de Resolução para a criação do Conselho Municipal de Segurança, de acordo com a Lei n° 33/98, de 18 de Julho, que criou os conselhos municipais de segurança, procurando assim congregar representantes dos mais diversos sectores da comunidade, focada nas questões relativas à segurança da mesma, tendo em vista a sinalização, análise e aconselhamento sobre problemas com impacto directo ao nível da segurança das pessoas e bens.

“Esta proposta será discutida na próxima reunião da Assembleia Municipal que se realiza no próximo dia 28 de Setembro”.