Albuquerque salienta apoio aos viticultores; diz que será tudo transparente na obra do novo hospital

O presidente do Governo Regional visitou hoje uma exploração de viticultura no Estreito de Câmara de Lobos, alegadamente para “acompanhar as vindimas” e “valorizar o trabalho destes produtores”. A produção de uva este ano cifrar-se-á em 4 mil toneladas, disse, que será toda adquirida pelas casas vinícolas. “Neste momento, é importante voltar a realçar o trabalho de 2100 viticultores que continuam a trabalhar para que o vinho Madeira continue a ser um dos produtos de excelência da Região”.

No corrente ano, disse Albuquerque, foi criada uma linha de crédito para cerca de 18 casas de vinho adquirirem a totalidade da uva aos viticultores. O Governo Regional propõe-se apoiar com cerca de 400 mil euros. “O escoamento está assegurado (…)”.

Numa outra esfera, e confrontado com críticas à obra do novo hospital da Madeira, declarou que isso não passam “de delírios e histerias habituais do PS-Madeira”, que “quer levantar suspeições relativamente à questão do Hospital”, nomeadamente denunciando uma suposta “cartelização” das construtoras.

“Já expliquei porque é que o concurso ficou deserto. As empresas não concorreram porque, devido à pandemia, o preço inicial que já constava do caderno de encargos não era adequado à construção, nos moldes que estavam no concurso. Para diminuir esses custos, nós vamos lançar, na quinta-feira, o concurso para a escavação, que atingirá um valor de cerca de 28 milhões de euros mais IVA, e o concurso em geral para o Hospital manter-se-á de acordo com aquilo que constava do caderno de encargos (…)”.

O chefe do Executivo disse que, para descansar as pessoas e para o PS Madeira não estar sempre a levantar suspeições, vai mandar publicar no site do Governo toda a documentação, quer do concurso, quer das propostas dos concorrentes. Será tudo público, podem ir lá consultar, e assim ficam dissipadas todas as dúvidas”, afirmou.

No que diz respeito ao começo das aulas, interpelado pelos jornalistas, agradeceu aos professores e aos funcionários a disponibilidade para serem testados para Covid-19 e considerou que estão reunidas todas as condições de segurança para que as aulas se iniciem presencialmente.