Ireneu aprova Direcção Regional de Saúde; caminho aberto para liderança de Rita Andrade no IASAÚDE

O representante da República para a RAM, Ireneu Cabral Barreto, promulgou e enviou para publicação o Decreto Regulamentar, remetido pelo Governo Regional, que cria a Direcção Regional da Saúde e aprova a respectiva orgânica. Esta medida, tomada pelo juiz conselheiro, deverá abrir caminho para que Rita Andrade, ex-secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais, assuma as rédeas do IASAÚDE, embora esvaziado de certas competências.

Rita Andrade  foi um nome anunciado para presidir ao Instituto de Administração da Saúde (IASAÚDE) da RAM, mas tal nomeação foi obstaculizada pelo incumprimento de requisitos legais necessários: Rita Andrade não é médica, e supostamente teria de o ser para presidir ao organismo. Agora, provavelmente, esse problema já não se coloca. O que acontece é que a Direcção Regional de Saúde acumulará competências na área da saúde pública que antes pertenciam ao IASAÚDE, pelo que é previsível que este fique despido de algum do seu “poder”, por assim dizer, em benefício da nova DRS, que passará a ser “a” autoridade regional de saúde propriamente dita, provavelmente presidida por Herberto Jesus, até agora presidente do IASAÚDE.

Quanto ao IASAÚDE, deverá passar por uma reformulação. Que permitirá a liderança de Rita Andrade, no que alguns vêem como uma “prateleira dourada”.

Quem já assegurou um emprego no IASAÚDE, que manterá obviamente determinadas funções que não deixam de ter a sua importância, foi o centrista Martinho Câmara, farmacêutico de profissão e que, além de ter sido deputado na ALRAM, é vereador na Câmara Municipal da Calheta. Deverá ocupar um cargo na administração.