Livro de João Lizardo e outros sobre a água na Madeira motiva exposição na Festa do Avante

O PCP/Madeira vai apresentar na Festa do Avante!, no próximo fim-de-semana na Quinta da Atalaia, no Seixal, uma nova publicação sobre a análise histórico-jurídica da água na Ilha da Madeira. Trata-se de um estudo coordenado pelo investigador João Palla Lizardo.

O livro, que surge na editora “Página a Página”, será apresentado no Pavilhão Central da dita “Festa do Avante!” onde terá ainda lugar uma exposição sobre a Água e as Levadas na Ilha da Madeira.

Esta, refere o PCP-M, será a exposição temática com maior destaque na vertente histórico-cultural daquele evento nacional organizado pelos comunistas. A mostra propõe-se abordar a história da água no arquipélago, desde a formação dos aquíferos em altitude, nas zonas de montanha, contemplando toda a economia da água, até à sua distribuição, com a rede de levadas que atravessam a ilha, incluindo a memória histórica da luta pela vida, pela sobrevivência, pelo direito a produzir, na luta pelo direito à água, refere um comunicado do PCP.

Esta obra, que será lançada esta semana, é um trabalho conjunto de João Lizardo, advogado no Funchal e doutorando em Arqueologia pela FCSH da Universidade de Lisboa, responsável por várias publicações sobre a colonia e participante activo no percurso que levou à extinção desse regime, e autor de vários trabalhos sobre o ordenamento jurídico resultante da Autonomia Político-Administrativa da RAM;

– Lígia de Fátima C. Gonçalves, Mestre em Estudos Regionais e Locais pela Universidade da Madeira, Técnica de Conservação e Restauro e Investigadora, autora de várias publicações sobre o património histórico ao nível da cerâmica, responsável pela investigação arquivística e demais colaboração para esta obra;

– José Luís G. Vieira, Mestre em Estudos Regionais e Locais pela Universidade da Madeira;

– David Francisco, autor de diversos trabalhos e exposições de fotografia, autor das imagens da Exposição “A Água e as Levadas na Madeira” na “Festa do Avante!” de 2020 e do capítulo das fotografias publicadas no livro agora em lançamento.

O livro que o PCP promove é também, refere a nota alusiva enviada às Redacções, “uma forma de prestar homenagem ao Padre Mário Tavares, recentemente falecido. A invocação da sua memória resulta da consciência de que sem a aprendizagem proveniente da excepcional sensibilidade do Padre Mário Tavares para os problemas dos sectores mais desfavorecidos da população, não teriam sido possíveis os conhecimentos que estão na origem desta publicação e do muito que se fez na luta pelo direito à água e contra a colonia”.