Peças confecionadas por doentes mentais à venda no Porto Santo para ajudar os 40 utentes da AFARAM

Fotos Funchal Notícias.

A Associação de Familiares e Amigos do Doente Mental da RAM (AFARAM) está a promover nos hotéis Vila Baleira e Pestana Porto Santo, uma ação de divulgação da instituição e angariação de verbas para a instituição e para os utentes.

A ideia é vender produtos elaborados pelos utentes da instituição e, com isso, angariar receitas para as despesas correntes e para remunerar o trabalho dos referidos utentes.

A AFARAM tem atualmente a seu cargo 40 pessoas, 30 das quais a viver nas residências da instituição. Na Camacha, a AFARAM também promove um projeto agrícola para os utentes que gostam da terra, onde são cultivados produtos agrícolas.

Em declarações ao Funchal Notícias, a presidente da AFARAM, Fátima Mendes disse que a iniciativa de venda junto dos turistas de unidades hoteleiras enquadra-se no projecto de inserção no âmbito da reabilitição psicossocial de pessoas portadoras de doença mental.

O objectivo da AFARAM é precisamente a reabilitição psicossocial, promovendo vários cursos, entre eles na área da costura.

As utentes que o frequentam sentem necessidade de “emprego protegido”. Como é muito complicado os empregadores aceitarem nos seus quadros pessoas com deficiência, a AFARAM avançou com o projeto de inserção em que a instituição adquire os tecidos e as utentes trabalham-nos para depois os venderem.

Há o apoio de um estilista que desenha os modelos e as peças são confeccionadas e postas à venda.

Este ano, a AFARAM escolheu o Porto Santo para divulgar o trabalho e angariar fundos e Fátima Mendes sentiu que há um ótimo feedback por parte dos turistas.

A AFARAM já está há 16 anos no mercado e começou com o projeto das “caixinhas”, que ainda mantém, ao qual adicionou o artesanato e a confeccção de peças de vestuário.

Há também um projeto de customização de peças, sobretudo t-shirt e camisolas, que são decoradas com aplicações e posteriormente colocadas à venda.