PSD elogia “melhorias na saúde” mas reconhece necessidade de reforçar respostas no Porto Santo

A Comissão Política do PSD local referiu hoje que têm de ser futuramente reforçadas algumas das respostas na área da Saúde, concretamente no que diz respeito ao serviço de encaminhamento de doentes não urgentes. As palavras, proferidas pela porta-voz Jocelina Melim, na qualidade de Vogal da Comissão Política do PSD Porto Santo, reconheceram porém o “excelente trabalho” desenvolvido pelas equipas de Saúde, ao longo dos últimos meses e em plena pandemia, no Porto Santo, bem como o reforço de meios no Centro de Saúde.

A ideia, no caso do serviço de encaminhamento de doentes não urgentes, passa, conforme referiu Jocelina Melim, por garantir que os doentes que são encaminhados do Porto Santo para a Madeira possam estar ainda mais esclarecidos quanto aos seus direitos, nomeadamente no que toca ao alojamento, alimentação, transporte e possibilidade de serem acompanhados, esclarecimento esse que deve ser alvo de uma maior divulgação junto da população, o que se espera em breve, quer através do Regulamento, quer de um Guia orientador de procedimentos.

A população portosantense, refere o partido, teve nos últimos meses de adaptar-se a outra realidade, concretamente “no que ao atendimento no Centro de Saúde diz respeito, decorrente das condicionantes impostas pela pandemia, num esforço que, não sendo fácil para nenhuma das partes, assumiu-se essencial na estratégia de combate e contenção do vírus”.

Na oportunidade, a social-democrata destacou, ainda, o papel fundamental que a EMIR tem vindo a desempenhar na “Ilha Dourada”, do ponto de vista da segurança dos residentes e visitantes, nos períodos de maior afluência.