CMF vai abrir “Viveiro de Lojas do Funchal” no Largo do Corpo Santo

A Câmara Municipal do Funchal tem no terreno um novo projecto intitulado “Viveiro de Lojas do Funchal”. De acordo com a edilidade, trata-se “de uma incubadora para novas marcas e um ensaio aos novos negócios permitindo testarem os seus produtos durante um período sem os custos inerentes à abertura de um espaço próprio”. O edil Miguel Silva Gouveia e o vereador que tutela as Obras Públicas na autarquia, Rúben Abreu, visitaram as obras que estarão concluídas no próximo mês de Setembro.

Segundo o presidente da CMF, “o Viveiro de Lojas surge no âmbito da rede de parcerias Abre Portas, constituída em 2018 pelo Município, no seguimento da estratégia Programa de Revitalização de Comércio e Serviços. O que se pretende de facto é que após a incubação dos seis meses os empreendedores, a sós ou em parceria, abram as portas dos seus negócios. No nosso entender é uma oportunidade única para um investidor que está a começar, ter um espaço, sem as despesas e os riscos associados a ser recém-chegado ao mercado concorrencial, de testar, de dar a conhecer e chegar à conclusão se o seu produto é adequado ao mercado e se o seu negócio é viável”.

O projecto visa proporcionar a projectos empresariais, com potencial de crescimento, um local temporário para teste e comercialização de produtos. Pretende fomentar o tecido empresarial do concelho bem como diversificar os modelos de gestão de projectos empresariais, através de serviços de apoio ao ciclo de vida do produto, nomeadamente na fase de introdução do produto no mercado, refere a CMF.

“A nova co-store ficará localizada no Largo do Corpo Santo, na Zona Velha da cidade, e terá uma área total de 33m². Representa mais um passo largo nesta caminhada da revitalização do comércio e serviços do Funchal, vamos criar e disponibilizar condições que estão ao nosso alcance para que se abram novas portas no concelho. Trata-se de uma iniciativa inovadora, que pretende ajudar a densificar o tecido comercial local com novos e diferenciados conceitos”, realçou Miguel Silva Gouveia.