Albuquerque enaltece exemplo das pessoas e instituições galardoadas e exalta tenacidade dos madeirenses na crise pandémica

Fotos: Rui Marote O presidente do Governo Regional expressou hoje, na cerimónia de Imposição de Insígnias Honoríficas a diversas personalidades, no Salão Nobre do Governo, a “profunda gratidão” a pessoas e instituições galardoadas, “por tudo aquilo que fizeram e representam”. “Numa é época”, salientou, “em que muitas vezes se confunde exibicionismo superficial com mérito intrínseco, importa que nós, Madeirenses, continuemos a prestar homenagem a pessoas e instituições que constituem um exemplo para todos nós”, considerou, no exercício de um “escrutínio cívico” que considerou “um alicerce importantíssimo para continuarmos a construir, no nosso dia a dia, uma sociedade decente e humanista, onde predominam os valores da solidariedade, da responsabilidade, do mérito e do trabalho”. Por outro lado, o governante enalteceu “o comportamento cívico exemplar do Povo Madeirense na presente crise pandémica”, agradecendo-lhe a compreensão para com as medidas preventivas decretadas pelo Governo Regional, e expressando solidariedade para com todos aqueles que foram afectados, directa e indirectamente, pela actual crise de saúde pública. Na presente situação, sutentou, “a saúde e a vida são os valores superiores que temos a todo o custo de salvaguardar”, pois, afirmou, “não há nenhum bem material que possa superar em valor a saúde de cada um de nós” e “não há economia viável sem uma sociedade sã e saudável”. “Vivemos tempos difíceis”, assumiu, mas mostrou-se certo de que “juntos, com sentido de responsabilidade, e preocupação com o bem comum, saberemos, mais uma vez, ultrapassar esta grave ameaça à nossa vivência colectiva”. Garantiu o presidente que os madeirenses são tenazes para para superar “quer as dificuldades naturais, quer as injustiças de que fomos vítimas ao longo dos séculos, pelo que desta vez não será diferente, face à pandemia. “O modo como os nossos profissionais da Saúde, da Segurança Social, da Protecção Civil, os Professores e Cuidadores, a Administração Pública em geral, têm assumido, com elevado sentido de missão, as suas funções é algo que tem de ser reconhecido e louvado”, declarou. “O mesmo se deve dizer das Forças de Segurança quanto ao modo dedicado e profissional como têm ajudado o Governo a concretizar as medidas profilácticas de preservação da Saúde Pública”. Para o representante da República, juiz conselheiro Ireneu Barreto, deixou um agradecimento especial 2pela sua pronta compreensão e apoio às medidas, muitas vezes difíceis, que este Governo teve de assumir”. Lembrou também o trabalho diário de muitos voluntários, instituições e IPSSs que ao longo destes meses continuam a apoiar de forma regular os mais vulneráveis. “Neste, que é o Dia da Região Autónoma da Madeira e das suas Comunidades cumpre também refletir, ainda que brevemente, sobre duas dimensões incontornáveis da nossa vida colectiva. Por um lado, ficou evidente aos olhos de todos, sobretudo no início desta crise pandémica, quão necessário é assegurar para a nossa Região uma Autonomia mais ampla, que proporcione maiores poderes de decisão aos nossos órgãos de Governo próprio. Por outro lado, sendo as nossas comunidades espalhadas pelo Mundo, uma afirmação da nossa identidade, há que reforçar os laços institucionais de ligação às mesmas e a proximidade e presença junto destes nossos concidadãos. A Madeira é hoje o que é graças também à sua diáspora”, sublinhou, enviando  uma “saudação calorosa a todos”.