PSP utilizou “taser” para imobilizar mulher alucinada e com arma branca no Caniço

Imagem ilustrativa de um taser (BBC News)

O Comando Regional da Polícia de Segurança Pública veio informar que no âmbito de uma ocorrência policial violenta verificada na tarde de ontem numa residência no Caniço, uma cidadã munida de uma faca encontrava-se visivelmente perturbada, alterada e com alucinações (tendo reiteradamente desobedecido à ordem policial de largar a arma, colocando em risco a sua integridade física bem com o dos que com ela residiam e dos polícias chamados ao local). Por esse motivo, a PSP viu-se obrigada a neutralizá-la com uma arma atordoante “taser”, que desencadeia uma descarga eléctrica que faz com que as pessoas percam, por momentos, o controle muscular.

O recurso ao “taser” é justificado pelo facto de não ter sido possível dominar a cidadã em segurança com recurso ao gás pimenta. A Polícia considera que a acção foi  proporcional à situação e à ameaça existente,”possibilitando salvaguardar a vida e a integridade física da própria cidadã, familiares e polícias”.

“Com esta acção a PSP dominou a situação de uma forma eficaz e segura, possibilitando o normal transporte da cidadã para o Hospital Dr. Nélio Mendonça onde recebeu tratamento psiquiátrico. A PSP elaborou o respectivo auto, o qual foi enviado para o Ministério Público da Comarca do Funchal acompanhado da faca apreendida”.