PCP quer que o Governo Regional apoie os produtores de cereja e de ginja na Madeira

O PCP refere, numa nota, que pretende apoios aos produtores de cereja e de ginja na Madeira, os quais estimam que, em 2020, terão perdas de produção entre os 80 e os 90% da produção tida por normal, em consequência de impactos negativos de condições meteorológicas extremas e negativas para aquela produção.

Os produtores de cereja e de ginja da RAM, designadamente das freguesias do Jardim da Serra, do Curral das Freiras e também da Serra de Água manifestam a sua preocupação pelo que comportará a acentuada quebra de produção, em consequência das condições climatéricas que se têm feito sentir desde o início de 2020.

Nas freguesias em causa, a actividade produtiva de cereja e de ginja reveste-se de uma importância significativa como fonte de rendimento para muitas das famílias. A quebra de produção causará, deste modo, prejuízos elevados para as economias locais e regional, diz o PCP.

Todo este quadro adverso, a que se somam às dificuldades criadas pelos impactos da pandemia causada pelo Covid-19, cria previsíveis rupturas no tecido económico e social e coloca fortes ameaças à base de subsistência económica de muitas famílias do mundo rural nesta Região Autónoma, refere o partido, que salienta que salienta que importa ainda ter presente que a grande maioria daqueles agricultores não dispõem das condições exigidas a quem pretenda fazer seguro de colheitas. Os produtores de cereja e de ginja na Madeira são, maioritariamente, condicionados pela pequena agricultura e experimentam fragilidades próprias do universo dos micro e pequenos agricultores.

Os comunistas entendem ser da maior urgência que o Governo Regional da Madeira estabeleça um regime extraordinário de apoios compensatórios pelas quebras na produção, de forma a salvaguardar não só coesão económico-social e a base de rendimentos dos agricultores, como também a capacidade produtiva para o futuro.

As dificuldades existentes, os prejuízos muito elevados, a perda de rendimentos que os produtores terão de enfrentar requerem que o Governo Regional adopte medidas supletivas para apoiar os produtores.

Considerando as perdas económicas relevantes para os produtores, manifestamente lesivas para o desenvolvimento regional, o PCP apresentará na Assembleia Legislativa da Madeira um Projecto de Resolução reivindicando apoios compensatórios pelas quebras na produção de cereja e de ginja, refere uma nota. O deputado comunista Ricardo Lume recomenda uma intervenção imediata do Governo Regional nos seguintes termos:

 

  1. a)Que o Governo Regional proceda, através dos serviços competentes da Administração Regional, ao levantamento da extensão das quebras de produção de cereja e de ginja em cada um dos produtores e em cada uma das localidades;

 

  1. b)Que o Governo Regional adopte uma programa extraordinário para apoiar os agricultores/produtores de cereja e de ginja, de forma a que sejam assegurados apoios públicos supletivos para garantir níveis de rendimento e o potencial de produção para os anos vindouros.