Assistente social madeirense destaca-se nos Açores com projeto digital inovador para o apoio domiciliário

Cristina Moura investe grande parte da sua atenção profissional no apoio social domiciliário aos mais carenciados.

Chama-se Cristina Moura e é uma madeirense com grande dinamismo nos Açores, ao nível do serviço de apoio ao domicílio junto da população idosa, através de uma plataforma digital (website).

Os tempos de pandemia e de fortes restrições sociais desafiaram a criatividade ao nível do altruísmo. Esta assistente social madeirense, que reside nos Açores há 20 anos, pensou “fora da caixa” e, com o apoio de uma equipa dinâmica, tem estado no terreno no serviço a quem mais precisa. Cristina Moura é a diretora técnica do projeto  “Boa Vontade. SAD” (https://boavontadesad.wixsite.com/porumacausamaior) que pode ser seguido pelo público e conta com a colaboração de voluntários.

Discreta mas abnegada, esta assistente social de formação, com 38 anos de idade, apostou na criação de uma plataforma digital para prestar cuidados em tempo de crise e isolamento através da Casada do Povo das Capelas (CPC). Servir quem mais precisa e fazer da solidariedade um lema de trabalho concreto e visível são valores que norteiam este projeto que tem dado bons frutos na comunidade açoriana.

A Casa do Povo de Capelas, IPSS, sediada na costa norte da ilha de São Miguel, possui a valência de Serviço de Apoio Domiciliário (SAD). Cristina Moura, explica ao FN as linhas orientadoras do projeto: “Face à realidade do nosso país e pensando nas pessoas idosas e/ou em situação de dependência, que apoiamos, ao nível da SAD (Serviço de Apoio ao Domicílio), nas freguesias de Capelas, Fenais da Luz, São Vicente Ferreira e Santo António, foi criada esta plataforma com duplo objetivo de satisfazer eventuais necessidades de recrutamento de pessoal na área de prestação de cuidados a este público e disponibilizar informação fidedigna a cuidadores e potenciais cuidadores (formais e/ou informais), bem como a pessoas voluntárias”.

 

Atualmente, são apoiadas cerca de 70 pessoas em situação de dependência nos seus domicílios e, dada a realidade de pandemia, prevê-se um aumento da procura desta resposta social SAD.

O projeto tem tido uma recetividade positiva junto da população mas não vai ficar por aqui. Cristina Moura explica-o: “Pretendemos com esta plataforma prepararmo-nos para em caso de necessidade alargarmos a nossa capacidade de intervenção, mas de uma forma sustentada e viável. A plataforma poderá ser uma ajuda no recrutamento de pessoal (remunerado e não remunerado), bem como, um apoio para identificação de tipo de apoio que poderá ser solicitado, nas atividades da vida diária das pessoas apoiadas ou que necessitamos de vir a apoiar, sendo que disponibilizamos recursos pedagógicos de modo a uma melhor compreensão desta área de atuação”.

O website – https://boavontadesad.wixsite.com/porumacausamaior  foi criado a 25 de março de 2020 e surge de uma iniciativa conjunta de diversas instituições (Casa do Povo das Capelas, Câmara Municipal de Ponta Delgada, Junta de Freguesia das Capelas e Associação Norte Crescente). Recentemente conta ainda com a colaboração da Associação para o Desenvolvimento de Novas Iniciativas para a Vida”.

O sucesso deste projeto tem sido possível graças a um trabalho em rede com várias entidades. Segundo Cristina Moura, “a Câmara Municipal de Ponta Delgada é nossa parceira no âmbito do recrutamento de voluntariado. Esta entidade já possui um programa denominado “Nível” e já é uma referência neste âmbito, sendo que tendo voluntários com o perfil pretendido, é possível integrá-los com todas as condições de segurança e “exigências”, nomeadamente, cobertura de seguros, formação…”

Além disso, outras entidades colaboram ativamente. “A Junta de Freguesia das Capelas disponibilizou-se com apoio logístico/financeiro no âmbito do voluntariado ou eventuais outras necessidades identificadas junto das pessoas idosas ou em situação de dependência que acompanhamos. A Associação Norte Crescente apoiou-nos na construção do site,  disponibilizando um técnico para o feito, bem como, apoiou com o empréstimo de caixas térmicas para podermos distribuir um maior número de refeições a pessoas que delas necessitam e não têm capacidade (por diversos constrangimentos, nomeadamente o grau de dependência) ou possibilidade para as confecionar”.

Por fim, “os recursos pedagógicos disponibilizados no site são certificados, tendo sido gentilmente cedidos pela Associação Advita, instituição sediada, por sua vez, em Portugal Continental, mas que face ao pedido de ajuda, mostrou total disponibilidade em ser nossa parceira, pois juntos, todos, conseguimos fazer muito mais e melhor”, revela.

Nos tempos de crise, a solidariedade também ganha espaço e adeptos. Por isso, a madeirense com trabalho social em solo açoriano confessa: “É sinal que a ajuda não tem fronteiras e esta iniciativa está no “terreno” para apoiar pessoas com apoio de pessoas e só faz sentido se todos nós dermos um pouco de nós, assim conseguimos todos um mundo um “bocadinho” melhor”.