Actividades económicas não essenciais como a construção civil páram a 31 de março

O Governo Regional anunciou hoje medidas adicionais para travar a proliferação do coronavírus na Região. Uma delas foi a decisão de que todas as actividades económicas não essenciais encerram a partir de 31 de Março.

Também foi decidido que não devem aterrar, nos aeroportos da Madeira, mais do que 100 passageiros por semana.

Miguel Albuquerque anunciou ainda que foi reorganizado o sistema de saúde para Impedir a mobilidade entre as unidades de saúde existentes, evitando a propagação do vírus.

Nas 5 unidades hoteleiras requisitadas pelo Governo Regional vai continuar o confinamento obrigatório, durante 14 dias, a todos quantos desembarquem.

O Governo tomou ainda medidas de reforço das medidas de circulação para evitar ajuntamentos de mais de duas pessoas e reiterou que as cerimónias religiosas com presença física estão proibidas.

O Governo Regional vai também solicitar às forças de seguranaça o reforço de medidas de controlo para circulação de pessoas e veículos, bem como em casos de ajuntamento.

O governante disse ainda que estas medidas têm a concordância do Representante da República para a Madeira.

O líder madeirense lamentou que as pessoas tenham começado a sair, a conviver, sem respeito pelas regras de segurança e Saúde Pública.

Segundo o governante, tal situação é muito perigosa e atenta contra toda a prevenção que tem sido feita.

Daí a necessidade de se tomar medidas mais restritivas.

Miguel Albuquerque esclareceu ainda que as oficinas de automóveis e os centros de inspeção encontram-se entre as atividades económicas não essenciais, sublinhando que atividades essenciais são aquelas fundamentais ao abastecimento e à Saúde das pessoas, como supermercados, frutarias, energia, combustíveis. E deu ainda o exemplo dos bancos e dos correios como atividades essenciais.