Estepilha! Será que pagamos desfiles para excluir pessoas?

Foto Rui Marote

A folia ainda vem longe mas nos bastidores das troupes, a adrenalina já é muita. Naturalmente que a alegria é a rainha desta e de outras festas mas chegou aos ouvidos do Estepilha algo que, não sendo novo, todos parecem fazer de conta que não sabem.

Consta que há para aí uma troupe/grupo que habitualmente desfila com   primor nos cartazes turísticos da Região (Carnaval, Festa da Flor …) que faz a seleção das meninas como se de verdadeiros castings para concursos de beleza se tratassem. Menina bela que se preze mas que tenha aparelho nos dentes, óculos, piercings ou tatuagens não tem direito a desfilar. A imagem tem de ser imaculada, qual capa de revista. Ao longo de anos, muitas das candidatas foram sendo excluídas e, consequentemente, acumulando complexos e outras fragilidades por conta desta seleção para um concurso à laia de Miss Madeira.

Tudo estaria bem se uma seleção espartana e medieval como esta fosse feita por uma entidade privada que não recebesse um cêntimo do Governo Regional para mostrar serviço nos sucessivos cartazes turísticos. E todos sabem que por detrás destes projetos estão pessoas sérias, que trabalham dias e noites a fio para apresentar sempre os melhores trabalhos. Pergunta-se: à custa de quê?

Acontece que é também o erário a pagar e bem para que estas ninfas saiam à rua após incompreensível escrutínio. Depois, como se não bastasse, adultera-se o espírito da coisa. Já não é a genuína folia da festa mas um evento com muita photoshop para inglês ver… Será que é só assim, com top models a desfilar, que os turistas aplaudem os cartazes turísticos e regressam à Madeira?

Pergunta-se ainda: será que a Secretaria Regional do Turismo e Cultura sabe disto?