A TAP é “Económica”, a batata frita é “gourmet”

Rui Marote

Como se sabe, a TAP desenvolveu recentemente um projeto no sentido de proporcionar, aos passageiros, no mesmo voo, quer Funchal-Lisboa, quer Lisboa-Funchal, várias experiências diferentes de acordo com o que pagam. Uma espécie de “low cost” convivendo com a executiva. No fundo, para os madeirenses, a diferença está no adiantamento, todos pagam 86 euros depois do reembolso, mas no momento de escolher entre bolacha e chá ou sandes de presunto e refeições mais sofisticadas, então aí quem pode, pode e toca a pagar até ao teto dos 400 euros. Depois recebe.

Um dia destes, a este propósito, viajar em económica deu direito a saco de batatas fritas…gourmet. Uma oportunidade de fazer a hora e meia de forma mais apertada, no lugar, mas com o “sabor” a executiva que só o “gourmet” pode dar.