Pombos devoram bolo de arroz quando cliente foi ao balcão, esplanadas do Funchal cada vez mais “invadidas”

Pombos 12 de julho 2019
Esta imagem começa a ser recorrente em muitas esplanadas do Funchal. Foto Rui Marote
pombos
A Câmara do Funchal alerta para a proibição de alimentar animais na rua, conforme definido no regulamento municipal para o efeito”.

Foi uma questão de segundos. Um cliente que se encontrava numa das esplanadas da Avenida do Mar, levantou-se para ir ao balcão e, num abrir e fechar de olhos, viu a mesa ser ocupada por pombos que, de imediato, devoraram o bolo de arroz. Uma imagem frequente nas esplanadas da cidade.

A situação é recorrente em diversos locais do Funchal, sobretudo em zonas onde se encontram esplanadas, sendo que os pombos arriscam cada vez mais e mesmo com as pessoas sentadas “invadem” as mesas. Acontece um pouco por todo o lado, mas com maior incidência na Avenida do Mar, na zona do Mercado, em frente à EEM, na Rua Dr. Fernão de Ornelas e na Praça do Carmo. Sobretudo estas.

Estas ocorrências já não são novas mas têm vindo a agravar-se nos últimos tempos, a que não é alheio o facto de muitas pessoas, essencialmente por diversão, alimentarem os pombos, habitualmente com pão, episódios que ocorrem com muita frequência na ponte do Mercado e junto ao Largo do Pelourinho.

Há algum tempo, o Funchal Notícias abordou esta problemática, que começa a ser preocupante, junto da Câmara Municipal do Funchal, com a Autarquia a revelar, na altura, que “o Departamento Municipal de Ambiente tem equipas de serviço permanentemente no terreno, que procedem a uma sensibilização constante para a não conspurcação da via pública, temática onde se inclui a proibição de alimentar animais na rua, conforme definido no regulamento municipal para o efeito”.

A Câmara explicou que “no caso dos pombos, são animais que proliferam devido à contínua disponibilidade de alimento no meio urbano, o que dificulta necessariamente as estratégias definidas pelos serviços para controlar esta população. No entanto, 2018 foi um ano marcado pela aplicação de um importante Plano de Ação pelo Departamento de Ambiente da CMF, que definiu várias medidas com vista à redução do número de efetivos de algumas das colónias de pombos, nomeadamente através da alimentação das mesmas com grãos de milho impregnados com contracetivo”.

Referia também a CMF que os indicadores de 2018 revelavam que a estratégia estava no bom caminho.