CDS acusa o Governo socialista de Lisboa de “desprezo” à Madeira

São as famílias madeirenses que estão a pagar o desprezo do Governo socialista” para com a Madeira”, considera o deputado do CDS-PP, António Lopes da Fonseca, que foi esta sexta-feira ao Aeroporto Internacional da Madeira Cristiano Ronaldo – que nos últimos dias voltou a registar cancelamentos de voos, causando problemas aos passageiros e à economia regional – insurgir-se contra o PS e o executivo de António Costa.

“Assistimos ontem (quinta-feira) ao anúncio por parte das entidades regionais e da NAV – Navegação Aérea de Portugal – de que o aeroporto iria ter novos equipamentos”, começou por contextualizar o parlamentar. “Os novos equipamentos são bem-vindos, mas o que nos espanta é que esses equipamentos só serão instalados em 2021, o que significa esperar mais dois anos, com consequências para a economia regional, o turismo e as famílias madeirenses”.

Depois das sucessivas promessas de realização de estudos técnicos por parte da ANAC para decidir se altera ou não os limites “mandatórios” dos ventos para “recomendáveis”, e da ausência de quaisquer respostas, António Lopes da Fonseca resume aquilo que, no entender do CDS, é o sentimento dos madeirenses em relação ao governo do PS: “Estamos a ficar fartos destes anúncios que são feitos num dia e só dois anos depois as medidas são implementadas”, disse, sublinhando nova frustração. “Também estamos a ficar fartos do Governo da República continuar a desprezar a Região ao não rever o subsídio social de mobilidade, apresentando um novo modelo. Continuamos a ter viagens a preços proibitivos para as famílias e é importante relevar que a média do vencimento regional é de 800 euros, com a TAP a apresentar passagens a 500 e 600 euros. Como é que as famílias podem fazer adiantamentos destes valores com os salários que têm? A TAP anda a ser financiada pela linha da Madeira, o que é totalmente inaceitável”.

António Lopes da Fonseca diz que o Governo Regional e o Governo da República estão à espera de uma solução divina: “Parece que estão a aguardar que os Deuses tragam alguma paz à Madeira em termos de clima”, enfatizou, concretizando. “Provavelmente, vão ter de invocar o Deus grego Éolo, no sentido dizer: não traga mais vento para a Madeira, só teremos novos equipamentos daqui a dois anos”.