Nova “greve” estudantil na sexta-feira para alertar para as alterações climáticas e a apatia dos governos

O colectivo “Zero Waste Madeira” veio anunciar uma “greve global pelo futuro” na sexta-feira, dia 24, às 9h30 frente à Assembleia Legislativa da Madeira. “A partir do movimento estudantil Fridays For Future, os estudantes e cidadãos em geral unem-se de forma global pela segunda vez para mostrar a sua preocupação, discutir soluções, partilhar informações e pressionar os dirigentes políticos a que ajam com maior firmeza, e medidas rápidas e eficientes para reduzir o nosso impacto ambiental e diminuir os danos causados pelas mudanças climáticas”, refere uma nota de imprensa.
“Porque deveria qualquer jovem estar a estudar para um futuro, quando ninguém está a fazer nada para salvar esse futuro? Qual é o propósito de aprender os factos quando os factos mais importantes dados pelos melhores cientistas são ignorados pelos nossos políticos?” – perguntou-se a jovem sueca Greta Thunberg antes de começar a fazer greve frente ao parlamento sueco.
O “Zero Waste Madeira” diz contar já com a presença da Associação de Estudantes da Escola Básica e Secundária de Santa Cruz, turmas da Escola EB23 Dr. Eduardo Brazão de Castro, alunos do secundário no Funchal e de outras partes da ilha, assim como professores e também organizações e seus representantes como o Núcleo da Amnistia Internacional/Funchal.
Convida-se a todos os estudantes, professores e pais que se preocupam pelo futuro, o seu e o das suas famílias e amigos, a unirem-se nesta greve pela justiça climática. “contra a apatia política em relação às alterações climáticas e a irresponsabilidade do incumprimento sucessivo das metas previstas no Acordo de Paris por todos os países aderentes, assim como a indiferença de líderes e decisores políticos às conclusões do relatório IPCC da ONU”.
“Queremos que seja declarado ‘estado de emergência climática’. Pelo nosso futuro, temos de proteger a nossa casa comum!”, refere a nota à comunicação social.