Casas para vítimas de violência doméstica na Região abrigam 41 mulheres e 37 crianças e jovens

Violência-domésticaO PSD-Madeira emitiu uma nota criticando declarações da deputada do PS, Catarina Marcelino, que veio ao Funchal falar da ajuda social prestada às vítimas de violência doméstica, “propondo soluções que já existem e revelando um completo desconhecimento sobre a ação que é desenvolvida pelo Governo Regional da Madeira, através do Instituto de Segurança Social”, diz a nota social democrata.

O PSD-M aponta dados para comprovar o trabalho do Governo, referindo que o Executivo “através do Instituto de Segurança Social, tem em funcionamento a Equipa de Apoio à Vítima de Violência Doméstica, a qual já acompanhou mais de 2000 pessoas desde a sua constituição em 2002 até à presente data.”

A nota sublinha que “as três casas de abrigo para vítimas de violência doméstica estão acolhidas 41 mulheres e 37 crianças e jovens. Neste momento, encontra-se em aplicação o II Plano Regional contra a Violência Doméstica (2015-2019) que apresenta já uma execução na ordem dos 70%, num total de 46 medidas e 16 entidades parceiras. Na Campanha Regional contra a Violência no Namoro foram envolvidos, até à presente data, 8 mil jovens e 1677 profissionais de diversas áreas foram abrangidos com ações de formação sobre esta temática”.

  1. Além do trabalho desenvolvido diretamente pelo Instituto de Segurança Social, existe uma estreita colaboração e articulação com as IPSS que trabalham nesta área, sendo, anualmente, canalizadas verbas do ISSM, num total de cerca de 450 mil euros.
  2. O PSD/Madeira recomenda, assim, que, em futuras visitas, a deputada socialista faça o trabalho de casa e não venha falar de cor sobre a realidade social da Região.