JPP defende cursos profissionais ligados às áreas dos ofícios tradicionais

O JPP defendeu hoje a criação de cursos profissionais ligados às áreas culturais e tradicionais, no decurso de uma visita à Escola Profissional Francisco Fernandes. O partido tinha pedido esta visita com o objectivo de “conhecer os cursos desenvolvidos, conhecer as instalações e o seu aproveitamento”. A deputada Patrícia Spínola realçou, na ocasião, as “excelentes condições” daquele estabelecimento de ensino, quer no âmbito da “componente pedagógica, quer dos técnicos das aulas de formação”.
A visita, disse, permitiu conhecer “com mais pormenor os cursos ministrados”, e a sua adequação ao contexto de trabalho, havendo cursos com maior procura, como a mecânica, e outros onde não há tanta adesão, como a jardinagem e os cursos de técnico agrícola, “talvez associados a algum estigma que é necessário combater”.
Esta parlamentar referiu a preocupação do JPP acerca do desaparecimento de profissões que estão associadas “à área cultural”, tendo havido a informação, por parte da Escola Profissional, do curso de tanoaria que já decorre.
Contudo, o “Juntos Pelo Povo” refere que há “muitos outros cursos onde poderá ser feita uma aposta por parte da Escola Profissional, como é o caso do artesanato, das bordadeiras e, de forma particular, uma área ligada à carpintaria, na construção de instrumentos tradicionais”. A deputada lembrou na oportunidade, que esta é uma área com muita procura, havendo, inclusive, uma “longa lista de espera para a construção destes instrumentos”.
Neste sentido, o JPP vai propor na Assembleia Regional da Madeira a aposta “nos cursos cujas profissões estão em vias de extinção”, com a devida “sensibilização das empresas para trabalhar em conjunto com a Escola Profissional para a criação de um grupo de profissionais disponíveis para dar a formação” permitindo manter as tradições e as artes da Região.