Parte da receita no Mundial vai mudar a vida dos 23 primeiros bolseiros da Federação Portuguesa de Futebol

Marcelo Ronaldo
Ronaldo prometeu que os jogadores vão lutar jogo a jogo.
Marcelo Patrício
Marcelo vê primeiro njogo no Terreiro do Paço,, vai a Moscovo ver o segundo jogo e o terceiro acompanha na área onde se registaram os trágicos incêndios de 2017.
Fernando Gomes
O presidente da Federação anuncia que parte da receita do Mundial será aplicada na educação de 23 alunos de famílias carenciadas.

O Presidente da República está a receber a seleção nacional que está de partida para o Mundial de Futebol 2018 que a 14 de junho começa na Rússia. Um momento de enaltecer a identidade nacional, a Bandeira e o País a caminho de uma competição que contempla o selecionado que tem o melhor jogador do mundo.

Fernando Gomes, o presidente da Federação, anunciou que a Federação vai aplicar parte da receita obtida no Mundial, na educação de 23 portugueses de zonas fora dos centros urbanos, de famílias carenciadas, que começam o ensino secundário em outubro. Financiaremos a carreira de estudantes e aqui estaremos, com cada um deles, antes do Europeu de 2020 para testemunharmos o que foram as suas vidas enquanto primeiros bolseiros da seleção. Estes 23 atletas, além de jogarem pela bandeira, vão jogar para mudarem a vida real de pessoas reais, são 23 que merecem o apoio de todos”.

Marcelo Rebelo de Sousa disse à comitiva: “Não peço para trazerem a taça, peço que sejam o que são”, considerando que os 23 atletas “são fator de unidade nacional, sendo um elemento fundamental nessa unidade, acima das diferenças partidárias, sociais, culturais”.

O Chefe de Estado anunciou que irá estar no Terreiro do Paço, junto com muitos portugueses, a ver o primeiro jogo de Portugal, contra a Espanha, no dia 16 de junho. Depois, vai a Moscovo ver o Portugal-Marrocos, a 20 de junho. O terceiro jogo, a 25 de junho, contra o Irão, será acompanhado por Marcelo na área onde se registou a tragédia dos incêndios em 2017, uma ideia do presidente da Federação que Marcelo aceitou.

O “capitão”, o madeirense Cristiano Ronaldo, fallou em nome da equipa, agradeceu a Marcelo todo o apoio e prometeu “humildade para lutar até final e ter esperança que no futebol tudo é possível. Para nós é um privilégio representar Portugal”.

O Presidente da República está neste momento a jantar com a comitiva portuguesa nas antigas instalações do Museu dos Coches.

A seleção portuguesa defronta esta quinta-feira, no Estádio da Luz, a equipa da Argélia, naquele que será o último jogo de preparação antes do Mundial, A partida para a Rússia está marcada para o próximo sábado.