Madeira só sabe quanto lhe cabe da UE pouco antes das eleições europeias de 2019

liliana rodriguesA Madeira só ficará a saber a parte que lhe cabe, em termos de investimento pela União Europeia, pouco antes das eleições europeias de maio de 2019. É isso que a deputada socialista madeirense Liliana Rodrigues faz referência numa nota onde anuncia, para 8 de maio próximo, pelas 10 horas, no Museu da Eletricidade – Casa da Luz, uma conferência intitulada Madeira pós-2020: Pensar o Futuro.

Na nota enviada à comunicação social sobre a iniciativa, recorda-se que “a Comissão Europeia iniciou, no passado mês de Janeiro, a discussão pública sobre o Quadro Financeiro Plurianual (QFP) pós-2020”. A ideia, diz a mesma nota, “é que Bruxelas possa divulgar, já no próximo mês de maio, o novo QFP e a legislação relativa aos futuros programas e fundos europeus. Depois desta discussão inicia-se outra: qual o valor dos fundos atribuídos a cada país. Tudo terá de estar decidido até à última semana de Maio de 2019, altura em que terão lugar as próximas eleições europeias. Apenas pouco antes desta altura é que a Região saberá qual a parte que lhe caberá em termos de investimento previsto pela UE”

A iniciativa promovida pela parlamentar, no auditório do Museu de Electricidade, surge com “o objectivo de debater as estratégias e prioridades da Região Autónoma da Madeira para o pós-2020, no âmbito do próximo Quadro Financeiro Plurianual (QFP) da União Europeia (UE). Liliana Rodrigues revela que teve em conta a relevância “de pensar e reflectir atempadamente sobre as estratégias, a médio e a longo prazo, para o futuro da Região, analisando os pontos que, para a Madeira, se apresentam como prioritários”, acrescentando que “este debate será um exercício importante e terá em conta as políticas públicas regionais, nacionais e europeias, numa altura em que sabemos que a Política de Coesão irá perder um dos seus maiores contribuintes, neste caso, o Reino Unido”.