Crónica de Viagem: sábado da Aleluia na Etiópia, uma tradição com 800 anos

Nas tradições coptas, etíopes e da Eritreia, este dia é conhecido como Sábado de Alegria.
A noite de sábado de Aleluia é especial em Lalibela, na Etiópia.

Escolhemos a igreja de São Jorge, por nos garantir uma panorâmica da multidão, uma vez que a igreja está enterrada na rocha. A vigília nunca se inicia antes do anoitecer, e deve terminar antes do amanhecer. Recordo que quando era jovem, assistia a esta cerimónia, que era à meia-noite.

Cheguei bem cedo, para colocar-me num ponto estratégico, com o sol a pôr-se .
Uma grande massa humana começava ocupar a grande área com a igreja ao centro, ao nível dos pés dos peregrinos, como se fosse um fosso.

Já escuro, iniciam -se os cânticos e citam -se Salmos… Mais tarde as velas começam a acender-se, muitas de fabrico artesanal, de cera de abelhas. Cruzes compõem o cortejo subordinado ao tema “Cristo ontem e hoje. Princípio e fim “.
O incenso espalha o seu aroma, queimando -se em louvor a Deus. O seu fumo a subir simboliza o nosso desejo de permanente união com Ele, e de que a nossa vida, as nossas acções e as nossas orações sejam agradáveis ao Senhor.

O fumo representa ainda as orações que desejamos que cheguem a Deus, como um suave perfume. Cerca da meia- noite, os fiéis descem por um caminho escavado na rocha, muito estreito em direcção à igreja de São Jorge, onde se completa o cerimonial. Lalibela a que chamamos de segunda Jerusalém, é visitada nesta época por imensos turistas
isrealistas e brasileiros, que todos os anos fazem questão de estar presentes, para viver a Semana Santa, uma tradição com 800 anos de idade. Aqui deixamos as imagens nocturnas desta vigília.