PURP-Madeira considera que a saúde na Região está “em agonia”

O PURP-Madeira (Partido Unido dos Reformados e Pensionistas) emitiu um comunicado intitulado “Saúde em Agonia”, no qual pede esclarecimentos á tutela e ao Governo Regional sobre informações vindas a público e denunciadas por alguns utentes, “entre eles alguns funcionários públicos”, de que os reembolsos da responsabilidade da ADSE não estão a ser cumpridos.
“O surreal é que além de terem de desembolsar a totalidade pelos exames, alguns que custam centenas de euros como TAC e RM, sugerem aos utentes que “não vale a pena passar recibo [pois] a ADSE não está a reembolsar”. Mas o pior da situação são os utentes do regime geral com pensões “de miséria” aos quais do serviço público são enviados para o sector privado e onde se lhes exige que “paguem já na totalidade o custo dos exames”: agora além de contribuírem são financiadores de um sistema e de um SRS/RAM que urge “virar do avesso”, denuncia o partido.
As actuais alterações na ADSE, dizem os responsáveis do PURP, “parecem-nos terem sido feitas para alimentar grandes grupos na área da Saúde e desresponsabilizar o estado nos cuidados de saúde que deve prestar à população, fazendo com que os utentes sejam empurrados para grandes hospitais privados e seguros de saúde apadrinhados por figuras políticas”.
Assim o PURP-MADEIRA aconselha ao GR resolver esta situação que está a causar problemas na economia familiar e na saúde dos cidadãos, já que muitos optam por não fazer os exames “ou morrem a aguardar pela sua vez numa lista de espera com um único fim… enganar o utente”.