Procissões dos Passos marcam tempo da Quaresma


Sílvio Mendes

Com a cerimónia da imposição das cinzas que acontece nas missas celebradas na quarta-feira de Cinzas, este ano no dia 14 de fevereiro, a Igreja Católica dá início à Quaresma que é um Tempo Litúrgico que está dentro do grande Ciclo Pascal e que se prolonga até a Quinta-Feira Santa, na Missa da Ceia do Senhor, ou seja, essa Missa Vespertina já não faz parte da Quaresma, mas sim do Tríduo Pascal.
A Carta apostólica de Paulo VI, quando aprovou as Normas Universais do Ano Litúrgico e o novo Calendário Romano geral refere que “o tempo da Quaresma vai de Quarta-feira de Cinzas até a Missa da Ceia do Senhor, exclusive” (n. 28).

A Carta Circular da Congregação para o Culto Divino, “Paschalis Solemnitatis”, de 1988, esclarece de forma teológica o Tempo Quaresmal e o Tríduo Pascal: “Na Semana Santa, a Igreja celebra os mistérios da salvação, levados a cumprimento por Cristo nos últimos dias da sua vida, a começar pelo seu ingresso messiânico em Jerusalém. O tempo quaresmal continua até à Quinta-feira Santa. A partir da missa vespertina, “in Cena Domini”, inicia-se o tríduo pascal, que abrange a Sexta-feira Santa “da Paixão do Senhor” e o Sábado Santo, e tem o seu centro na vigília pascal, concluindo-se com as vésperas do domingo da ressurreição”.

Os 40 dias da Quaresma representam o mesmo número de dias que Jesus passou no deserto antes de começar a sua vida pública, os quarenta dias do dilúvio, os quarenta dias da marcha do povo judeu pelo deserto, os quarenta dias de Moisés e Elias na montanha e os 400 anos que durou a estadia dos judeus no Egito.

Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material, seguido de zeros significa o tempo da nossa vida na terra, seguido de provas e dificuldades.

Oração, mortificação e caridade são as três práticas quaresmais que integram também a realização de vias-sacras nas sextas-feiras e as procissões dos Passos que decorrem nos domingos da Quaresma, em muitas paróquias da Madeira sendo é uma reconstituição das ruas de Jerusalém, uma Via Sacra mais imponente e com forte intensidade dramática, em que o próprio Cristo caminha com os devotos que se mantém hoje como catequese viva e apelo profundo à conversão.
A imagem do Senhor dos Passos, levando a cruz às costas, atravessa as ruas, como outrora percorreu as de Jerusalém sendo acompanhada pela imagem de Nossa Senhora das Dores.

A procissão dos Passos é uma tradição implantada em Portugal pelos Franciscanos no século XVI, sendo uma espécie da repetição do caminho de Jesus, desde o Pretório até ao Calvário.
Na Madeira a primeira procissão dos Passos realiza-se na paróquia de São Roque. Este ano será no próximo domingo 18 de fevereiro e sairá da igreja no final da missa celebrada às 11 horas.