Câmara do Funchal compra seis novas viaturas elétricas

Carros elétricos CMF
As viaturas elétricas reforçam o departamento do Ambiente.

A Câmara Municipal do Funchal apresentou, hoje, seis novas viaturas 100% elétricas para o Departamento de Ambiente, um investimento de 200 mil euros, cofinanciado pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente.

Quatro das viaturas destinam-se à Divisão de Limpeza Urbana da Autarquia, tendo uma capacidade de carga de 700 quilos, uma potência do motor de 10 KW e autonomia superior a 70 km, destinando-se essencialmente à lavagem de alta pressão e à aspiração de detritos. As outras duas irão estar ao serviço da Divisão de Jardins e Espaços Verdes Urbanos, para tarefas diversas.

Paulo Cafôfo, o presidente da Câmara, que na apresentação foi acompanhado pela vereadora do Ambiente, Idalina Perestrelo, referiu, “que esta é uma aposta não só em termos ecológicos e de sustentabilidade, mas especialmente a nível de eficiência dos serviços”.

carros eletricos CMF 2
Quatro das viaturas destinam-se à Divisão de limpeza urbana.

A aquisição das viaturas, segundo informação veiculada pela autarquia, “insere-se no plano de renovação da frota e que prevê a substituição de veículos com consumos elevados de combustível e em final de vida, por outros mais eficientes e sustentáveis, que permitam reduzir as emissões de gases poluentes por parte dos serviços e os custos de utilização e manutenção da frota, sem afetar, contudo, a sua eficácia. Tratam-se de viaturas pequenas, não poluentes, e que serão, neste caso, importantes para a limpeza da Baixa do Funchal”. Paulo Cafôfo refere que “temos uma cidade cuidada, que é reconhecida internacionalmente, como aconteceu pelo terceiro ano consecutivo com o galardão ECOXXI, mas estas viaturas são uma aposta de futuro, amiga do Ambiente, que irá continuar, seja através de cofinanciamento, seja através do orçamento municipal.”

A compra das seis viaturas elétricas enquadra-se, também, nos objetivos do Pacto de Autarcas, promovido pela União Europeia e assinado pelo Funchal, com vista a comprometer o poder local a adotar medidas de eficiência energética e investimentos em fontes alternativas, de modo a reduzir as emissões de CO2 em pelo menos 20%, até 2020.