Pe. Agostinho Gonçalves doou 7500 livros à Biblioteca de Machico; Ricardo Franco agradece gesto e o “legado” de um homem querido da população

A Câmara Municipal de Machico recebeu ao final da tarde de ontem uma doação de 7500 volumes da biblioteca pessoal do Pe.  Agostinho José Luís de Jesus Jardim Gonçalves.

A doação vai enriquecer o acervo da Biblioteca Municipal, e inclui livros cobrindo várias áreas do conhecimento, desde a história à biografia, desde literatura à poesia, desde a teologia à economia, desde a política ao ambiente, incluindo obras sobre Arte, entre outros temas.

A cerimónia decorreu na Biblioteca Municipal de Machico, e registou intervenções do doador e de Ricardo Franco, presidente da Câmara Municipal de Machico.

O Pe. Agostinho Gonçalves recordou, na ocasião, que, ao longo da sua vida, foi buscando respostas às interrogações da população de Machico. Na sua biblioteca não estão as respostas, disse, mas “estão lá as minhas tentativas de resposta, como homem, como cidadão e como padre”.

“A resposta que um homem procura nunca pode ser respondida apenas por uma área do conhecimento”, disse. Mostrou-se satisfeito por os filhos, os netos daquelas pessoas com quem se relacionou enquanto padre, poderem ir usufruir do saber que acumulou na sua biblioteca, que agora doa com muito prazer.

Por seu turno, Ricardo Franco  classificou a doação como “um legado importantíssimo”, da parte de uma pessoa “que gosta de Machico, que esteve cá nos longínquos anos de 1956-57, como padre cura, iniciando, praticamente, a sua actividade, mas que marcou a população, que lhe devotava amizade”.

O acto, além de simbólico, foi classificado como “o legado de uma vida”, deixado por alguém que no seu percurso pela vida terrena foi coleccionando muitas obras que estarão agora disponíveis para a população estudantil de Machico, e para todos aqueles que prezam a cultura e o conhecimento.