‘Nós Cidadãos’ pergunta por promessas de Rubina Leal no dia nacional do bombeiro

O partido político ‘Nós, Cidadãos!’ aproveita a circunstância de hoje, na Madeira, se assinalar o dia Nacional do Bombeiro Profissional para, numa altura em que o país e a ilha da Madeira ainda sofrem com a deflagração e combate a incêndios, colocar algumas questões à candidata do PSD à CMF, Rubina Leal, que foi até há bem pouco tempo Secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais.

Em comunicado, tendo presente que Rubina Leal promete “mais investimento para os Bombeiros”, equipamentos e recursos humanos, o ‘Nó Cidadãos’ pergunta:

1.º-Com que novos equipamentos/meios/materiais (e o seu número), foram dotadas as corporações de bombeiros da Região durante a sua permanência na Secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, meios que são necessários ao socorro e proteção, e como foram gastos os 5 milhões de euros, anunciados em setembro de 2016, para o prometido reforço dos bombeiros, valor que estava destinado a ser usado na aquisição de material e que constava da candidatura ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso e Recursos (POSEUR)?

2.ª- Quantos bombeiros das Associações Humanitárias de Bombeiros da Região já foram contemplados com os prometidos “ajustamentos”/aumentos salariais que estão congelados há quase duas décadas (e também progressões na carreira) e, como disse a ex-secretária regional, poderiam abranger perto de 450 a 500 bombeiros, uma forma de compensar –dizia a governante– os “11,74% dos montantes reduzidos por força do PAEF”?

O partido relembra que a 29 de outubro de 2016 Rubina Leal anunciou uma verba de 236,940,00€ para reforço do financiamento de algumas Associações de Bombeiros Voluntários da região, e idêntico compromisso consta ainda da resolução n.º 785/2016 de 31 de outubro de 2016 (JORAM), que autorizava a celebração de adendas aos contratos-programa com várias Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, e onde consta «que o valor o valor da referida comparticipação tem-se revelado insuficiente para fazer face às despesas inerentes ao seu funcionamento, designadamente na melhoria das condições salariais dos seus trabalhadores».

3.ª- Em que situação se encontra a «aquisição das 36 viaturas de combate a incêndios florestais e de equipamentos de proteção individual», que consta da candidatura do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos –POSEUR, entretanto aprovado?

Seguramente, nenhuma chegou a tempo da época de fogos deste ano –mesmo depois do fatídico verão de 2016– mas será que surgirá alguma antes do dia 1 de outubro de 2018?, pergunta.