Autárquicas 2017: Rubina Leal promete gabinete de apoio ao emigrante

Rubina Leal pretende criar um gabinete de apoio ao emigrante no município do Funchal, como forma de acompanhamento e como porta de entrada ao investimento e à criação de riqueza para a cidade. O anúncio foi feito no sábado pela candidata do PSD à Câmara Municipal do Funchal, durante uma visita ao Clube Social dos Emigrantes Madeirenses.

Sublinhando que nunca se pode esquecer a história da Madeira, Rubina Leal defende que está na hora de apoiar “aqueles que nos ajudaram durante muitos anos” e que até perderam as suas economias por causa da banca portuguesa. Por isso, entende que é essencial prestar atenção aos emigrantes e criar um gabinete específico para madeirenses que regressam à Região.

“Na minha candidatura, tenho previsto um Gabinete de Apoio ao Emigrante, porque são aqueles que mais investem, que mais procuram a nossa cidade para investir, para encontrar a resposta, para criar riqueza, para criar de emprego.”

Dizendo que um dos momentos mais marcantes da sua carreira, enquanto secretária regional, foi ter conhecido a Venezuela, Rubina Leal destacou o espírito dos emigrantes madeirenses naquele país.

“Foi na Venezuela que conheci verdadeiramente o que é ser emigrante, o que é estar fora, os sacrifícios que muitos fazem e que muitas vezes não são reconhecidos” disse. “Foi na Venezuela que conheci verdadeiramente o espírito de gostar da nossa, o espírito de quere voltar, o espírito de estar ligado às nossas raízes e, sobretudo, o espírito de família.”

Defendendo uma cidade diferente para combater aquilo que designou de “desleixo do atual executivo da CMF”, a candidata laranja apontou a limpeza urbana, o descuido dos jardins, exemplificando com a tragédia do Monte. “Eu estive em silêncio durante muito tempo, mas eu acho que as responsabilidades têm que ser apuradas”, frisou.

O Clube Social dos Emigrantes Madeirenses, por seu turno, também terá o apoio de uma autarquia liderada por Rubina Leal que tem previsto para aquele espaço de 7.000 metros um protocolo com a CMF.