Rui Barreto acha que a CMF deveria adquirir a antiga estação do Comboio do Monte

O candidato centrista à liderança da Câmara Municipal do Funchal referiu hoje que a edilidade deveria considerar a possibilidade de vir a adquirir a antiga estação do Comboio do Monte, situada no cruzamento da Rua do Pombal com o Caminho do Comboio, no Funchal, tendo em consideração o seu valor histórico e patrimonial.
A sugestão foi apresentada hoje por Rui Barreto, no decorrer de uma acção de pré-campanha pela freguesia de Santa Luzia.

A ideia deste candidato democrata-cristão tem um antecedente histórico. Com efeito, a Sociedade do Caminho de Ferro do Monte foi constituída em Outubro de 1890, tendo a Câmara do Funchal adquirido 250 obrigações por decisão do então presidente da autarquia, visconde do Ribeiro Real, refere o CDS.

O objectivo é não deixar morrer uma parte da história do Funchal. Rui Barreto lembra que a CMF adquiriu, e bem, a Bilheteira do Monte, mas entende que é preciso ser mais audacioso, valorizando, quer o antigo percurso do comboio e as freguesias por onde passava, quer a própria Estação do Pombal.

“Estamos a falar de um ícone da cidade, com um traçado que poderá potenciar as freguesias”, sublinha o candidato. “Precisamos de valorizar este património e preservar a sua história, potenciar o turismo, as freguesias bem precisam de uma nova dinâmica económica.”

O Conselho Municipal do Turismo está criado desde Novembro de 2016 por proposta do CDS-PP, mas nem por uma única vez se reuniu, denunciam os centristas.

“É importante que a CMF seja uma entidade promotora juntando pessoas ligadas à cultura, ambiente, paisagem, património, Universidade e associações empresariais para pensar no Funchal do futuro, valorizar o património edificado, estimular as actividades económicas de cada uma das freguesias e potenciar a criação de emprego”, diz Rui Barreto.

Neste périplo, Rui Barreto fez-se acompanhar dos candidatos às juntas de freguesia de Santa Luzia e São Pedro, Ricardo Fonseca e Marco Dias, respectivamente.