CMF adquire novos veículos de combate a incêndios florestais e não só

A Câmara Municipal do Funchal informou ontem que aprovou, em reunião de câmara, a abertura do processo de aquisição de quatro novas viaturas, destinadas ao combate de incêndios urbanos e florestais, na sequência da aprovação de uma candidatura para o efeito no âmbito do POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, criado pela Comissão Europeia para a operacionalização da Estratégia Portugal 2020, na qual se definem os princípios da política de desenvolvimento económico, social e territorial do país, até ao final desta década. O concurso público internacional para o efeito já decorre, com valor base fixado em cerca de 800 mil euros, refere um comunicado da autarquia.

A edilidade liderada por Paulo Cafôfo avança, assim, para uma modernização da frota dos Bombeiros Sapadores do Funchal considerada indispensável, quer devido à idade dos meios existentes, quer, em especial, à necessidade de adaptar os meios de combate às especificidades do concelho, nomeadamente com a valência de combate em interface florestal e urbana, o que foi uma das maiores necessidades com que a Protecção Civil Municipal se deparou nos incêndios do ano passado, diz a CMF.

A autarquia tem vindo a levar a cabo, desde então, todos os procedimentos necessários a esta aquisição, um processo exigente mas que valeu, mais uma vez, a aprovação de uma importante candidatura a fundos comunitários, refere nota de imprensa.

Serão adquiridos, desde logo, “dois veículos florestais de combate a incêndios, especificamente para intervenção na interface urbano-florestal da cidade”. A CMF diz que estas viaturas “possuirão valências de combate inicial e de protecção a incêndios estruturais, o que vai ao encontro das necessidades do concelho”.

Possuirão, ainda, capacidades de apoiar e manter operações de evacuação de sinistrados e de pessoas expostas nas zonas onde os bombeiros tiverem de intervir. A existência de uma vasta zona de interface entre o edificado e as áreas florestadas no Funchal, rurais ou incultas, leva a que, em diversos casos, como no ano passado, as operações de combate a incêndios florestais se possam transformar em combate a incêndios urbanos, e vice-versa, explica a Câmara.

Estes dois novos veículos possuem, também, valências e equipamentos de intervenção em edificado de pequena volumetria e altimetria. Dessa forma, serão veículos mais estreitos que os veículos-padrão, possuindo motorização com potência adequada (elevada), tracção às quatro rodas e facilidade de manobra e estacionamento, o que lhes permite a necessária flexibilidade aquando da sua utilização nos arruamentos estreitos, sinuosos e inclinados característicos das zonas situadas às cotas mais altas do concelho.

Chegará, igualmente, um novo veículo florestal de combate a incêndios, que vai substituir o Pronto-Socorro Pesado Florestal do Município, que conta com 20 anos de serviço e com um uso intensivo em operações de combate a incêndios florestais, garantindo-se, desta forma, melhorias significativas em termos de performance mecânica, superestrutura e bomba acoplada, garante a Câmara do Funchal.

Finalmente, a aquisição contempla, ainda, um veículo ligeiro de combate a incêndios, para reforço da capacidade de primeira intervenção em incêndios florestais e substituição do actual Pronto Socorro Ligeiro dos Bombeiros Sapadores do Funchal. No âmbito da protecção do Parque Ecológico e de outras zonas sensíveis com elevado valor ambiental e paisagístico no concelho, o novo veículo permitirá alargar a acção de patrulhamento, alocando um meio exclusivamente para vigilância do Parque.