Faltou o dinheiro e a obra parou: população da Ponta do Pargo à espera da conclusão via expresso

FOTOS FN.

Na pacata e aprazível freguesia da Ponta do Pargo, os moradores insistem no apelo ao Governo Regional: é necessário acabar a construção da via expresso.

As ligações estão  feitas mas a obra chegou à Raposeira e parou.

Faltou o dinheiro para concluir a tão ansiada empreitada que encurta distâncias a quem já está muito longe da capital da Madeira, mas a esperança persiste.

Nas últimas conversas dos populares com os governantes, quer por ocasião dos arraiais populares quer noutros atos oficiais, o grande anseio da população é relembrado ao presidente do Governo Regional. Miguel Albuquerque promete que o sonho será concretizado mas é preciso que haja orçamento para viabilizá-lo, seguramente com recursos a fundos comunitários.

Numa freguesia com muitos naturais emigrados na África do Sul e França, ficam os mais velhos, com limitações de acesso mais agravadas. “Empreiteiros é que não faltam para construir os túneis e estender o tapete de betão da Raposeira à Ponta do Pargo. É preciso é que o Governo Regional dê luz verdade para as obras começarem”, explica ao FN um dos moradores no centro da freguesia.