Centros Comunitários do Funchal terão 170 utentes em 22 marchas populares

fotos DR.

O Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, visitou ontem o Centro Comunitário do Pico dos Barcelos, em Santo António, onde decorre a bom ritmo a preparação para o mês de Santos Populares que se avizinha. Em junho, os sete Centros Comunitários que são geridos pela empresa municipal SociohabitaFunchal estarão envolvidos nestas atividades, que Paulo Cafôfo considera “serem já um cartaz da Região, em virtude da grande mobilização local e do que significam no seio das nossas freguesias.” Os Centros Comunitários a cargo da Autarquia terão, este ano, 170 pessoas envolvidas em 22 saídas de Marchas Populares.

O Presidente, que foi acompanhado pelo respetivo Executivo Municipal, enalteceu, na ocasião, “o excecional trabalho diário dos Centros Comunitários da Câmara Municipal do Funchal, um trabalho pelas pessoas, com muita vontade, muito voluntarismo e com uma reciprocidade única na comunidade, que vai desde atividades de alfabetização, à culinária, de trabalhos manuais de artes e costura, até atividades de lazer e ateliers de tempos livres para os mais novos, sendo de destacar, no caso do Pico dos Barcelos, o trabalho inclusivo do Centro Comunitário, que também privilegia atividades para jovens com necessidades especiais.” Paulo Cafôfo acrescenta que “os nossos Centros Comunitários são uma face que nos dignifica muito e são decisivos para a qualidade de vida destas pessoas, algumas delas desempregadas, algumas delas aposentadas e que aqui, têm oportunidade de estar, bem-estar e participar.”

O Bairro do Pico dos Barcelos conta com 140 fogos, metade dos quais são pertença da SociohabitaFunchal, e a outra metade do Instituto de Habitação da Madeira (IHM), sendo que no Centro Comunitário, gerido pela SociohabitaFunchal, estão utentes de ambos os empreendimentos. Há cerca de ano e meio, o Centro Comunitário do Pico dos Barcelos sofreu, aliás, importantes obras de alargamento e beneficiação, que dotaram o espaço de renovadas condições para levar a cabo as atividades previstas pela Autarquia, e que foram determinantes, por exemplo, para que os utentes possam estar agora a criar fatos e adereços para as Marchas Populares que se avizinham.

A visita do Executivo Municipal, ontem, foi no sentido de “abrir a agenda relativamente aos Santos Populares que aí vêm, que serão o próximo grande cartaz da cidade, e de dar visibilidade a todo o trabalho dedicado e intenso que estas pessoas têm levado a cabo, desde a elaboração dos fatos e dos adereços, até às coreografias finais. Os técnicos da SociohabitaFunchal orientam este processo, mas o mérito é das pessoas, que o tornam, no fim de contas, numa verdadeira festa, até à apresentação pública, que tem lugar quer nas ruas, quer nos hotéis”, referiu Paulo Cafôfo.

Isto porque os utentes dos Centros Comunitários do Funchal acabam por integrar atividades não só das Juntas de Freguesia do concelho, mas igualmente de diversas unidades hoteleiras, que os convidam para animação turística. O Presidente regozija-se por isso, enaltecendo a riqueza de poder mostrar a quem nos visita “o trabalho genuíno das pessoas da nossa terra”, e considerando que ninguém lhe ficará indiferente: “é uma satisfação por si só ver a alegria estampada no rosto das nossas pessoas, mercê da dedicação e do empenho empregues em prol da sua comunidade e é isso que torna as nossas Marchas Populares tão especiais.”