Diretor regional quer escolas a trabalhar em projetos de intercâmbio internacional

“Num mundo cada vez mais globalizado, não podemos estar sozinhos. É necessário atuar em parceria com os outros”. A mensagem foi deixada esta manhã na Escola dos Louros pelo diretor regional da Educação, durante a cerimónia de abertura do 5º Encontro Erasmus+, no âmbito do projeto europeu Life Inclusive, destinado a pessoas com necessidades educativas especiais.

Perante uma plateia composta por alunos e professores, nacionais e estrangeiros, Marco Gomes destacou a importância de projetos de intercâmbio internacional, sobretudo na área da educação, capazes de promover a aprendizagem e uma consciencialização quanto às potencialidades de cada interveniente.

“É nesse processo de partilha que vamos valorizar o que somos, conhecendo o que os nossos parceiros têm de diferente e identificando o que temos de bom e como melhorar”, sublinhou o governante, que aproveitou a ocasião para lembrar a necessidade de alterar mentalidades em relação ao trabalho que se realiza na Região e promover a valorização dos recursos. “Às vezes, como madeirenses, olhamos com espírito muito crítico para a nossa realidade e esquecemos que temos coisas muitas boas”.

Destacando a importância das parcerias na formação das crianças e jovens como “futuros cidadãos”, o responsável fez questão de reafirmar o apoio do seu gabinete a projetos desta natureza, como o que está a ser dinamizado pela Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros em articulação com instituições de ensino de vários países europeus, como a Alemanha, a Inglaterra, a França, a Letónia e a Polónia.

“É preciso estar presente para também darmos força às escolas para que continuem a desenvolver um trabalho que exige criatividade e esforço para conseguir alcançar os resultados desejados”.

Dirigindo-se aos alunos e professores presentes, a diretora da Escola dos Louros fez questão de sublinhar as vantagens de integrar um projeto europeu destinado aos jovens com necessidades educativas especiais. Para Gilberta Camacho, o projeto Life Inclusive – European Participation in Labour and Leisure for people with disabilities – vem permitir divulgar de forma mais abrangente o trabalho de diferenciação que está a ser desenvolvido no seu estabelecimento de ensino, com vista à plena integração destes alunos, no exercício de uma cidadania europeia e ativa.

Devido às condições meteorológicas do passado fim semana e que condicionaram os voos no Aeroporto da Madeira, não puderam estar presentes na cerimónia de abertura as comitivas da Inglaterra e da Letónia, cuja chegada está prevista para as próximas horas.

Os agradecimentos ficaram a cargo dos responsáveis pelos grupos alemão, francês e polaco que quiseram manifestar à escola anfitriã o seu agrado pela forma como foram recebidos e pelo programa agendado até ao final da semana, no qual estão previstas visitas a algumas instituições que desenvolvem trabalho diferenciado, como é o caso dos centros de atividades ocupacionais (CAO) de Santo António e de Santana.

Ao todos, serão 33 os elementos que visitam a Madeira, a convite da Escola dos Louros, entre alunos e docentes. Durante os próximos dias, terão a oportunidade de conhecer o sistema educativo regional e sobretudo que tipo de programas são desenvolvidos na Região destinados aos jovens com necessidades educativas especiais, após a maioridade e/ou conclusão da escolaridade obrigatória.

Refira-se que, até à data, já participaram em mobilidades de aprendizagem, ao abrigo deste projeto, doze alunos da Escola dos Louros, dos 6.º ao 8.º anos, de Percursos Curriculares Alternativos (PCA).