Amor pátrio no regresso à terra natal para a inauguração do Aeroporto da Madeira

pátria
Foto Rui Marote

No ano de 2000, foi assim: um emigrante madeirense radicado no Estados Unidos que beijava o solo da sua terra, num regresso emocionado para testemunhar a inauguração da ampliação do Aeroporto da Madeira.Um reencontro marcante e revelador do amor pátrio deste emigrante.

A Diáspora cruza-se com a história da Madeira. Por mais voltas que os filhos da terra façam ao mundo, o regresso à terra natal é sempre um acontecimento marcante, nomeadamente em grandes celebrações como a que ocorreu em 2000. Não só é compreensível como devemos acolher com grande hospitalidade e afabilidade estes madeirenses de alma e coração.

Se há factos que marcaram a história da Madeira foi, sem dúvida, a inauguração do novo Aeroporto que imprimiu uma dinâmica completamente diferente a esta infraestrutura aeroportuária, rumo ao desenvolvimento há muito desejado.

O ato inaugural foi assinalado também com a realização de voos diretos do Brasil, EUA, África do Sul e Venezuela, através do Airbus 340 da TAP. Desde então, esses voos directos de longo curso não se repetiram.