Cantaria vermelha à guarda da Cultura em Santo Amaro

cantaria pedra santo amaroAs placas de cantaria vermelha (459 silhares) retiradas da zona da foz da Ribeira de São João estão sob a alçada da Direção Regional da Cultura e encontram-se depositadas em Santo Amaro.

O FN confirmou a localização do material junto da Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, após de ter dado conta da sua existência e remoção da zona de São Lázaro, no mês passado.

Segundo informação recolhida junto do gabinete de Eduardo Jesus, os silhares permanecem devidamente acondicionados e sobre paletes de madeira, em depósito legal da Região Autónoma da Madeira, depois de terem sido desmontados da zona original onde se encontravam e transportados para a Torre do Capitão (Santo Amaro).

As placas fazem parte de uma antiga estrutura (Ponte de São Lázaro) que estava localizada junto à foz da Ribeira de São João.

No âmbito do acompanhamento arqueológico da intervenção realizada (canalização da Ribeira de São João), todas as peças da estrutura foram previamente registadas e numeradas.

O transporte das peças decorreu entre os dias 9 e 16 de outubro do corrente ano.

pedra1

No que concerne ao seu valor intrínseco, é considerado pelas autoridades como “inestimável”, pois tratando-se de parte integrante do Património Cultural Regional, não pode de alguma forma ser vendido e/ou alienável.

Tratam-se de peças em cantaria vermelha proveniente da pedreira do Cabo Girão.

No futuro, dizem os responsáveis, poderão ser reutilizadas em obras de recuperação do património.