Madeirenses precisam de apoios das comunidades para a presença nas Jornadas Mundiais da Juventude em Lisboa

 

A Diocese do Funchal quer envolver toda a sociedade madeirense nas Jornadas Mundiais da Juventude, de 1 a 6 de agosto do próximo ano, na cidade de Lisboa, com a presença do Papa Francisco. Antes de proceder à apresentação do plano pastoral da Diocese do Funchal, que também dá grande relevo às JMJ, o Bispo do Funchal declarou ao FN a preocupação de envolver a comunidade madeirense neste grande desígnio internacional.

“Para além da inscrição que garanta todas as facilidades em Lisboa durante aquela semana, vamos ter de pagar as viagens e, portanto, isso significa que os jovens madeirenses precisam de ajudas. Mas cada comunidade paroquial irá providenciar essas ajudas”.

Bispo da Diocese acredita no dinamismo das comunidades paroquiais na ajuda à participação dos jovens na JMJ. Foto arquivo/FN.

O Governo Regional foi sondado neste sentido? “Não faço a menor ideia”, replicou o Bispo, explicando que “são as comunidades paroquiais” que procurarão apelar ao contributo generoso dos cristãos para assegurara a participação dos jovens madeirenses no grande evento católico de Lisboa, cuja organização na Madeira está a cargo do padre Carlos Almada, também ele a colocar em  foco a participação dos jovens e a enumerar, na apresentação do plano pastoral, as diversas iniciativas em  agenda, nomeadamente  as Jornadas da Juventude no Porto Santo, a Via Sacra dos Jovens, na Páscoa, entre outros eventos.

Segundo revela o site da Diocese do Funchal, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja.

Acontece todos os anos a nível diocesano, até agora por altura do Domingo de Ramos e a partir de 2021 no Domingo de Cristo Rei. A cada dois, três ou quatro anos ocorre como um encontro internacional, numa cidade escolhida pelo Papa, sempre com a sua presença. Reúne milhares de jovens para celebrar a fé e a pertença à Igreja.

Desde a primeira edição, que se realizou na cidade de Roma em 1986, a Jornada Mundial da Juventude tem-se evidenciado como um laboratório de fé, um lugar de nascimento de vocações ao matrimónio e à vida Consagrada e um instrumento de evangelização e transformação da Igreja.

Visa proporcionar a todos os participantes uma experiência de Igreja universal, fomentando o encontro pessoal com Jesus Cristo. É um novo impulso à fé, à esperança e à caridade de toda a comunidade do país de acolhimento. Tendo os jovens como protagonistas, a Jornada Mundial da Juventude procura também promover a paz, a união e a fraternidade entre os povos e as nações de todo o mundo.