JPP cita IVA a 22% como exemplo de má gestão social-democrata

Élvio Sousa, líder do Grupo Parlamentar do JPP na ALRAM, vem esclarecer que “o PSD tem vindo a público afirmar que a Região tem sido um exemplo na redução da carga fiscal, mas esquece de exercer a comparação com os Açores, onde o IVA da taxa geral encontra-se à 16% e os escalões do IRS com o diferencial fiscal de 30%, conforme as vantagens do regime autonómico (ver imagem com tabela infra).”

“É preciso relembrar ao PSD e ao CDS, este último que, entretanto, veio defender a redução do IVA em finais de 2019, que a Madeira tem o IVA mais alto não só das regiões autónomas, como de todas as regiões ultraperiféricas. E além do mais, o IVA está às taxas de 5%, 12% e 22% devido à má gestão e despesismo do PSD”, acusou.

“Além do mais, no IRS o PSD/CDS encontra-se a explorar vergonhosamente a classe média, pois as famílias que se encontram no 3.º e 4.º escalões de IRS não têm o diferencial máximo de 30%, mas apenas de 20%. Ou seja, o PSD/CDS só aplica o diferencial máximo de 30% a uma pessoa que tenha o rendimento coletável até 10 736 €/ano, e ainda se afirmam sociais-democratas”.

“Uma outra contradição reside no facto do PSD/CDS reduzir ao limite máximo a derrama para lucros milionários, e não reduz ao máximo o imposto sobre o rendimento das pessoas que recebem acima de 10 736€ anuais”, acrescentou.