Iniciativa Liberal quer mais segurança no Funchal

Em comunicado, a  Iniciativa Liberal (IL) refere que «a proliferação de actos de vandalismo, numa localidade, é, habitualmente, um sinal tóxico no que respeita à gestão camarária. As causas podem ser várias, desde a delinquência, à toxicodependência, aos horários de funcionamento dos estabelecimentos nocturnos, fomentadas pela existência de espaços abandonados e não cuidados, o pouco interesse em exercer uma ação interventiva e eficaz, assim como a ausência de uma política (a par da governamental) de tratamento e recuperação de muitos desses indivíduos.»

São situações que, segundo os liberais, «afastam os outros munícipes das localidades, sobretudo fora dos horários escolares e/ou de trabalho. O resultado, são as chamadas “cidades desertas” tomadas de assalto pelos meliantes», cujas «consequências registam-se a vários níveis para além do social. É a economia que perde, porque também perde a Cultura e as indústrias criativas, a habitação, em suma, a qualidade de vida municipal extingue-se».

«Urge sentar polícia, agentes judiciais, câmara, governo e outras entidades, à volta de uma mesa para que a situação actual seja rapidamente mitigada. É necessário que rapidamente se faça uma avaliação, de modo a estabelecer metas e objectivos, métricas desejadas, um plano de colecta de dados e chegar a conclusões que permitam a adopção de medidas concretas.», sugere a IL, uma vez que «os índices de segurança pioram de dia para dia».