Ireneu Barreto confessa à embaixadora ser um fervoroso admirador dos EUA

O representante da República para a Região Autónoma da Madeira,  Ireneu Cabral Barreto, recebeu, no Palácio de São Lourenço, a embaixadora dos Estados Unidos da América em Portugal, Randi
Charno Levine.

No encontro também estiveram presentes os presidentes da Assembleia Legislativa da Madeira, do Governo Regional e da Câmara Municipal do Funchal.

Na ocasião, confessou-se “um admirador dos Estados Unidos da América”, que cresceu “a olhar os Estados Unidos como o farol do Mundo Livre e a pátria do progresso da Humanidade”.

“Mais tarde, já como magistrado, e sobretudo nos anos que passei no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, em Estrasburgo, sempre vi nos Estados Unidos o exemplo do Estado de Direito Moderno”, acrescentou, frisando, entre as virtudes estadunidenses, a “democracia centenária”, o “caminho exemplar na conquista nos direitos cívicos e no respeito pelas diferenças, numa sociedade multicultural”, o “sistema judicial sempre em evolução, em permanente diálogo com a comunidade”, o “respeito endémico pela liberdade de expressão” e o “contributo fundamental para a consolidação dos regimes democráticos em todo o Mundo”.

Evocando também a comunidade madeirense nos EUA, Ireneu Barreto mencionou vários aspectos que ligam a RAM aos EUA, como o vinho da Madeira, com o qual se brindou à declaração de independência dos Estados Unidos, o ukulele, instrumento do Havai descendente directo do braguinha madeirense, levado para lá por emigrantes, ou a filmagem na Madeira das cenas de caça à baleia do filme “Moby Dick”, que recriou para o cinema o clássico de Herman Melville, com o actor Gregory Peck na pele do capitão Ahab.