Novo comandante operacional da Madeira foi piloto de Alpha Jet

Rui Pedro Matos Tendeiro é o novo comandante operacional da Madeira e tem estado já a prestar cumprimentos a diversas entidades da RAM. O major-general piloto aviador Rui Pedro Matos Tendeiro, nasceu na Covilhã a 30 de Março de 1966.

Ingressou na Academia da Força Aérea em 1983, no Curso de Ciências Militares e Aeronáuticas – ramo da Pilotagem. Frequentou o curso de Pilotagem na Força Aérea dos Estados Unidos, na Base Aérea de Laughlin, no Texas em 1987. No mesmo ano, quando regressou dos Estados Unidos, foi colocado na Base Aérea 11, para frequentar o Curso de Conversão Operacional em Aeronaves de Combate, na Esquadra 103 na aeronave T-38C.

Em 1989 fez parte do núcleo inicial de instrutores na Esquadra 101, recentemente equipada com a aeronave Épsilon, na Base Aérea Um, onde permaneceria até 1992, contabilizando mais de 1300 horas de voo nesta aeronave, informam-nos fontes militares.

No início de 1993, após ter realizado a conversão operacional em Alfa Jet, foi colocado na esquadra 301, na Base Aérea 11. Foi piloto nesta esquadra até ao ano de 2008, onde viria a obter todas as qualificações operacionais na aeronave e na Esquadra, assim como o curso de Controlador Aéreo Avançado, realizado na Alemanha.

Frequentou o Curso de Promoção a Oficial Superior em 1998. Nesse ano foi colocado novamente na Esquadra 301, como Oficial de Operações.

Em 1999, seria nomeado Oficial de Operações do Comandante da Componente Aérea, no CAOC 5, em Vicenza, durante a Operação da NATO na Sérvia e Kosovo, “Allied Force”.

No final desse ano, integrou a primeira Força de Paz Internacional liderada pela NATO a entrar no Kosovo, KFOR, como Controlador Aéreo Avançado, na avaliação de danos “após ataque”.

Entre 2001 e 2002 foi colocado no Comando da NATO, “Southlant”, na Secção de Operações Aéreas, como oficial responsável pelas Operações Aéreas Ofensivas e Defensivas.

Comandou a Esquadra 301 entre Abril de 2003 e Outubro de 2004. Contabilizou mais de duas mil horas de voo em Alfa Jet e na Esquadra 301.

Após o Comando de Esquadra, foi colocado na Academia da Força Aérea, como Director de Departamento das Ciências Aeronáuticas, Chefe do Departamento da Formação Militar e docente.

Em 2008 foi nomeado para uma comissão de serviço no Ministério dos Negócios Estrangeiros, como Conselheiro Militar do Embaixador de Portugal, junto da NATO.

Entre 2011 e 2014, regressou à Força Aérea, tendo assumido as funções de Comandante do Corpo de Alunos na Academia.

De 2014 a 2016 Comandou o Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea.

Em 2016 e 2017, frequentou o Curso de Promoção a Oficial General, no Instituto Universitário Militar.

Após a promoção a Brigadeiro-General, foi colocado no Estado-Maior-General das Forças Armadas, para criar o Departamento para a Inovação e Transformação.

Em Dezembro de 2020 foi promovido a Major-General, tendo assumido as funções de Segundo Comandante Aéreo, no Comando Aéreo.

No dia 1 de Agosto do presente ano, foi nomeado por Despacho Ministerial para comandar o Comando Operacional da Madeira.

Contabiliza na sua caderneta de voo, mais de quatro mil horas de voo.

O major-general Rui Pedro Matos Tendeiro é casado e tem uma filha e um filho.

A cerimónia militar relativa à sua chegada realizou-se ontem no Reduto Gomes Freire, tendo sido presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Comando Conjunto para as Operações Militares, vice-almirante Jorge Nobre de Sousa.

Marcaram presença também o Comandante Operacional dos Açores, tenente-general Morgado Batista, o Comandante das Forças Terrestres, Tenente-General Eduardo Ferrão, o director de Comunicações e Sistemas de Informação do EMGFA, brigadeiro-general Oliveira Ribeiro, e o chefe do Centro de Informações e Segurança Militares, comodoro Valente Tinoco, entre outros convidados civis e militares.

Já hoje, ao final da manhã, o major-general piloto aviador chegou ao Funchal, onde foi recebido no Salão Nobre do Comando Operacional da Madeira por todos os colaboradores militares e civis daquela estrutura do EMGFA, tendo dirigido aos presentes umas breves palavras, em que se destacaram quatro ideias-chave para a sua missão: confiança, comunicação, entreajuda e inovação.