Acusações à Gesba e ao Governo Regional por causa da banana

A Associação Cartilha Madeirense veio denunciar que “a GESBA e o Governo da Região tratam os agricultores do sector da Banana na Madeira com se fossem grandes latifundiários ou coronéis proprietários de grandes plantações na América Latina. Os tiques e os maneirismos são idênticos”.

“A Gesba não é, de qualquer forma ou feitio produtora de Banana, então com que legitimidade assina com as associações de outras regiões produtoras de banana da Europa acordos e compromissos?”, questiona a associação.

“Não possui legitimidade formal ou informal para tal. A Gesba é uma empresa com capital público. Nada mais”, insiste.

“A secretaria da agricultura local, capitaneada pelo seu néscio “capataz” ainda vive e fundamenta os seus argumentos na realidade de 2007. É a mesma e eterna lengalenga das cooperativas e dos seus problemas de há 15 anos. Estamos em 2022, o mercado é diferente, os produtores são outros e os mercados são globais. Todo este espectáculo de senhores de gravata nos bananais a exibirem publicamente malabarismos empresariais e governamentais só têm impacto junto a uma população maioritariamente desconhecedora da realidade. A nós agricultores e produtores enoja-nos”, prossegue o comunicado,

“O Bananicultor Madeirense não vê os seus rendimentos atualizados desde 2005, no entanto a Comunidade Europeia aumentou o apoio financeiro, desde então, em 750% Existem condições de mercado, capacidade de produção e de comercialização para que seja “liberalizado” o comércio da Banana da Madeira, mas sem o Baninicultor perder o apoio entregue pela Comunidade Europeia. Longos vão os anos caóticos das cooperativas e dos armazenistas sem regras e escrúpulos. Os Bananicultores são donos do seu produto e dele devem dispor livremente sem penalizações”, insiste-se.

“A Comunidade Europeia não disponibiliza apoios para o governo regional obrigar o produtor a entregar a banana ao monopólio da GESBA sob a ameaça de perder o apoio comunitário. Esses “dinheiros” disponibilizados pela Comunidade Europeia correspondem a cada kilo de banana produzida e não por cada kilo de banana entregue à monopolista GESBA da Banana”,

“Que se saiba, esta é uma distorção das regras do mercado, neste sector, única em toda a Comunidade Europeia”, refere-se.