Primeira audiência de Paulo Cafôfo foi com o embaixador de Portugal em Caracas

Foto DR

O novo secretário de Estado das Comunidades, Paulo Cafôfo recebeu hoje em Lisboa o embaixador de Portugal em Caracas.

“Fiz questão de que a minha primeira audiência com embaixadores de Portugal, fosse com o nosso Embaixador em Caracas, Carlos Sousa Amaro.

Nesta que foi uma reunião de trabalho, abordamos diversas matérias que neste momento afligem a nossa comunidade.

Uma primeira nota para referir a forma como os portugueses, maioritariamente originários da Madeira, são respeitados naquele país, pela imagem de honestidade e pela sua capacidade de trabalho.

O Senhor Embaixador transmitiu-me que a situação económica na Venezuela tem melhorado um pouco, nomeadamente nas grandes cidades, mas continuam a existir muitas preocupações e situações complexas, pelo que o apoio às pessoas terá de manter-se como uma prioridade.

Falamos igualmente da TAP, depois da proibição por parte do governo venezuelano dos voos daquela companhia para aquele país, situação felizmente desbloqueada, em que o Embaixador Carlos Sousa Amaro e o Governo Português tiveram um papel proativo e determinante.

Abordamos igualmente a necessidade do reconhecimento dos processos de equivalência das licenciaturas, sendo inaceitável que algumas Ordens profissionais estejam a criar obstáculos, depois de Universidades validarem as respetivas equivalências de estudos. Estamos a falar de luso-descendentes, bons profissionais, com formação altamente qualificada e que, infelizmente, não estamos aproveitar as suas aptidões, ao contrário do que sucede em Espanha onde facilmente entram no mercado de trabalho.

Na vertente consular, tentaremos que seja preenchida a vaga de Adido Social em Caracas, que desde Fevereiro está por ocupar.

Discutimos ainda o apoio prestado por Portugal no domínio médico, nomeadamente nas vertentes de acesso a medicamentos e de tratamento no Serviço Nacional de Saúde, medida que mereceu o elogio das autoridades venezuelanas e que pode vir a ser alargada com a Associação de Médicos Luso Venezuelanos.”