Portos da Madeira não acharam piada ao “Estepilha” e respondem

Dos Portos da Madeira, o FN recebeu uma resposta assinada pela presidente do Conselho de Administração da APRAM, Paula Cabaço, referente a um artigo publicado na nossa secção sarcástica e jocosa, o “Estepilha”, num texto da autoria de Rui Marote. Aqui publicamos o esclarecimento na íntegra: 

“Na sequência das “crónicas” publicadas na rubrica “Estepilha” que muitas vezes, tentam denegrir a imagem da APRAM, consideramos que as que foram publicadas nos dois últimos dias, terça e quarta-feira, – a última com o titulo “FN comanda a agenda dos portos”-  ultrapassam o mais elementar conceito de direito de opinião e ofendem toda a equipa de uma empresa que diariamente, dá o seu melhor, em prol dos Portos da Madeira.

Nesse sentido, ao abrigo da legislação em vigor, a Administração da APRAM solicita a publicação deste esclarecimento que agradece antecipadamente e que pretende esclarecer a opinião pública:

  1. Relativamente à aquisição de uma moto quatro  não  se trata de um “brinquedo” como refere o articulista,  mas sim da aquisição de um equipamento fundamental para assegurar de forma célere e eficiente o transporte de bagagens  de passageiros e tripulantes,  pelo que enxovalhar uma medida que é implementada,  à semelhança do que acontece nos portos mais modernos do mundo,  revela no mínimo  má-fé ou total desconhecimento de causa.
  2. Em relação à reparação da Lancha de pilotos “Ilhéu do Lido”, que diz estar a  aguardar peças há meses em São Lazaro,  trata-se de uma manutenção preventiva da lancha que inclui a realização de vários trabalhos de limpeza de equipamento e pinturas,  e que esta a ser assegurada pelos colaboradores da APRAM, mais concretamente  pelos nossos marítimos (marinheiros e maquinistas) e  de acordo com a disponibilidade dos mesmos. Com efeito,  estes trabalhos apenas podem ser realizados quando não há navio em porto,  caso contrário  estes colaboradores estão afetos à operação portuária nas suas diferentes vertentes. Aproveitamos a oportunidade para informar que não só não há peças para chegar,  como o serviço de pilotagem nunca esteve em causa pelo facto de a lancha estar a ser intervencionada,  como é insinuado. Efetuar a manutenção com  a “prata da casa”, sempre que possível, tem sido uma opção, de forma a poupar custos.
  3. A ironia e o humor são importantes na vida, assim como na expressão de uma mensagem. Mas não podem nunca deturpar e muitos menos, ignorar a verdade dos factos.4
  4. Para terminar, a APRAM está disponível para prestar esclarecimentos ao Funchal Noticias sempre que necessário, à semelhança do procedimento que tem com todos os órgãos de comunicação social.

Paula Cabaço

Presidente do CA da APRAM”