Trabalhadores da ECM estudam novas formas de luta para 2022

Um comunicado de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias da Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal elogia a “grande vitória dos trabalhadores da ECM”, que cumpriram o segundo dia de greve pelas justas reivindicações da negociação da revisão do acordo de empresa, do aumento do salário em 90 euros, de 25 dias úteis de férias, e da semana das 35 horas.

Os trabalhadores, diz o sindicato, não têm aumento salarial desde 2018, nem podem contar, da parte da empresa, com nenhuma proposta de aumento para o próximo ano.

A vitória que o Sindicato considera ter existido foi a da paralisação provocada na empresa. Os trabalhadores já agendaram, entretanto, dois plenários para a primeira quinzena do ano que vem, para estudar novas formas de luta.