OCM apresenta duas obras em primeira audição nacional no concerto de sábado

A Orquestra Clássica da Madeira (OCM) apresenta duas estreias em primeira audição nacional, no concerto do próximo sábado.

Trata-se de duas obras distintas compostas para violino e violoncelo solo com orquestra. Conforme refere o director artístico da OCM, Norberto Gomes, “de Philip Glass, referido como um dos mais influentes compositores do Séc. XX, apresentamos o concerto duplo para violino, violoncelo e orquestra que tem a particularidade de ter sido estreado mundialmente pelo nosso convidado, o violinista Michael Guttman, que neste programa assume também a direcção musical”.

“Também estreado mundialmente pelos nossos convidados, para quem a obra foi escrita, Michael Guttman no violino e Jing Zhao no violoncelo, apresentamos uma obra composta este ano, no âmbito do centésimo aniversário do nascimento de Astor Piazzolla, pelo compositor argentino Jorge Bosso. Esta obra, “A Vida de Piazzolla”, inspirada em obras de Piazzolla, de Ginastera e de Mulligan tem o acompanhamento dos solistas por uma orquestra de cordas”, acrescenta este responsável.

“A completar este programa, também numa inspirada composição de António Vivaldi apresentamos o concerto duplo para violino e violoncelo solo com orquestra”, acrescenta.

Para este concerto na Madeira, em particular, que se realizará no centro de Congressos (Casino) às 18 horas, os solistas tocarão em em instrumentos originais italianos do início do Séc. XVIII, um violino construído por Carlo Bergonzi e um violoncelo do construtor veneziano Matteo Goffriller.

Os bilhetes custam entre 20€ e 5€ e estão disponíveis na Loja Gaudeamus no Colégio dos Jesuítas (junto à Câmara Municipal do Funchal), de segunda a sexta-feira no horário das 10:00-18:00, e no dia no local do concerto a partir das 15h00.

Entre as 09h30 e as 11h30, serão disponibilizados no local do concerto serviços gratuitos para a realização de Testes Rápidos Antigénios (TRAg). [CÓDIGO EVENTO: 100440 – PARA REALIZAÇÃO DO TRAg].

O programa é, portanto, o seguinte:

Vivaldi [1678-1741] –Double concerto in B-flat major

Jorge Bosso [1941-] – The Life of Piazzolla –  Music by, Piazzolla, Ginastera, Gerry Mulligan para violino, violoncelo e orquestra de cordas.

Philip Glass [1937-] – Concerto for violin cello and orchestra

 

Maestro e Solista Convidado: Michael Gutmann

Michael Guttman é violinista, maestro e director musical de festivais de destaque em todo o mundo, incluindo Pietrasanta em Concerto, Crans Montana Classics na Suíça, Le Printemps du Violon em Paris e Made in Polin em Varsóvia. É igualmente diretor musical da Napa Valley Symphony e da Belgian Chamber Orchestra.

O seu álbum de três concertos para violino, gravado com a Orquestra Filarmónica de Londres, no qual ilustra três gerações de compositores israelitas (Ben Haim, Sheriff e Zehavi), recebeu aclamação da crítica e o prestigiado Prémio Scopus (2014) da Universidade Hebraica de Jerusalém pela sua atividade musical. Foi também nomeado para o prémio Grammy com o álbum “Hindemith” com a Orquestra Filarmónica.

Guttman, foi mais jovem violinista admitido no Conservatório Real de Bruxelas com 10 nos. A sua estreia aos 14 anos, com Jean-Pierre Rampal, levou-o ao encontro com o seu mentor Isaac Stern, que posteriormente o recomendou estudar na Juilliard School em Nova Iorque, com Dorothy Delay e The Juilliard Quartet.

Estudou com o lendário violinista russo Boris Goldstein para o qual organizou um concurso de violino em sua homenagem com o professor Zakhar Bron em Berna, Suíça, em 2014.

Como principal violinista belga, foi escolhido para representar o seu país em 1992, durante a Exposição Universal de Sevilha. Concertos no Lincoln Center, Barbican Hall, Palais des Beaux Arts em Bruxelas, Salle Pleyel em Paris e na Ásia foram seguidos de convites a festivais de prestígio como Progetto Martha Argerich, Flanders Festival,

Festival de Elba de Bashmet, Folles Journées em Nantes e Tóquio e o Festival Menuhin em Gstaad.

Estreou o Concerto Duplo de Philip Glass para Violino e Violoncelo com a Dallas Symphony Orchestra nos EUA e a Hong Kong Philhamonic na Ásia, ambas dirigidas por Jaap Van Zweden. Efetuou tournés com Martha Argerich, NestorMarconi, Nigel Kennedy, Boris Berezovsky, Vadim Repin, Salvatore Accardo e Natalia Guttman, entre outros.

Depois de colaborar com compositores e maestros como Lukas Foss e Noam Sheriff, desenvolveu a sua carreira de direção, e em 2017, percorreu as mais prestigiadas salas de espetáculos em Espanha, com o lendário pianista Ivo Pogorelich.

O seu encontro com Astor Piazzolla estimulou a descoberta de diferentes estilos de tango, e em 2017 criou o primeiro concerto duplo para violino e acordeão com a Orpheus Chamber Orchestra e J.P. Jofre, o famoso argentino acordeonista.

Michael Guttman toca num violino Guarneri del Gesù de 1735 que também foi usado pelo violinista e compositor italiano Giovanni Battista Viotti.

Solista Convidada Jing Zhao

Com profunda musicalidade e virtuosismo, Jing ZHAO é considerada uma das artistas mais promissoras, que está a estabelecer uma carreira internacional. Jing Zhao,é violoncelista principal chinesa da sua geração, ganhou o primeiro prémio da prestigiada ARD International Competition – Munique,  em 2005 e onde recebeu o prémio Exxon Mobil Music de 2009 no Japão. O Grande Seiji Ozawa escolheu-a como solista, juntamente com o violinista Vadim Repin, o pianista Lang Lang e a cantora Kathleen Battle, para o concerto de abertura do Grande Teatro da China em Pequim. O mesmo ajudou-a a se mudar para Berlim, onde estudou na Karajan Academy, além de ter aulas particulares com Yo-Yo Ma e o Maestro Rostropovich.

Reconhecendo o seu talento excepcional, o Maestro Rostropovich contribuiu para que ingressasse na Classe do Prof David Geringas na Berlin Hanns-Eisler Hochschule fur Musik. Apresentou-se sob a direção de notáveis Maestros como Seiji Ozawa, Lorin Maazel, Ricardo Muti, Andris Nelsons, Myung-Whun Chung, Muhai Tang, Mikhael Pletnev, Yuri Bashmet, Kenichiro Kobayashi, Jean Fournet e Eliahu Inbal entre outros. As orquestras que a convidaram incluem NHK Symphony, New Japan Philharmonic, Beijing Symphony, Bayerische Rundfunk Orchestra, Munich Chamber Orchestra, Hong Kong Philharmonic, KBS Philharmonic em Seul, NDR Symphony Orchestra, Philharmonica della Scala, Sydney Symphony e a Singapore Symphony.

Em Berlim, Jing Zhao tornou-se parceira de música de câmara onde tem colaborado com artistas como Emmanuel Pahud, Guy Braustein, Daishin Kashimoto, Paul Meyer, Boris Berezovsky, Eric le sage, Antoine Tamestit, Konstantin Lifschitz e Trevor Pinnock. Fez uma tourné pela Ásia com Myung-Whun Chung, onde foram convidados para se apresentarem junto com H I H o príncipe herdeiro Nahurito do Japão.

A grande pianista Martha Argerich optou por interpretar e gravar o trio Tchaikowsky com Jing ZHAO e Dora Schwartzberg durante o seu festival em Lugano, onde é agora convidada regularmente. Outros festivais onde se apresentou, incluem o famoso Festival de Jerusalém, Festival de Zagreb, Roland’s Ecke em Bonn WH, Bad Kissingen, Festival Internacional de Istambul, Festival BPP de Argerich, Folles Journees, etc.

É professora convidada no Conservatório de Pequim e no Tokyo College of Music.

Jing Zhao gravou 5 CD’s.  Os seus próximos CDs, um álbum russo com o concerto para violoncelo de Shostakovich e um álbum chinês dos dois concertos para violoncelo de Tan Dun, bob direção do Maestro Tan Dun, ambos gravados com a Royal Orquestra Filarmónica em Londres, que serão lançados em 2020.

Jing Zhao toca no ex- violoncelo de Natalia Gutman, um Godfrille de 1711.