Docente da FCV-UMa e OOM/ARDITI participa em missão oceanográfica

De acordo com uma informação da Universidade da Madeira, desde 20 de Agosto último que o docente da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade da Madeira (FCV-UMa) e investigador do Observatório Oceânico da Madeira/ARDITI, Manfred Kaufmann, está embarcado no navio de investigação alemão, FS SONNE, a participar na missão oceanográfica SO285 com duração prevista de 10,5 semanas percorrendo cerca de 12000 milhas náuticas e que envolve uma travessia do Oceano Atlântico de Norte para Sul e a zona costeira e ao largo da África de Sul e Namíbia.

Kaufmann está a participar, a convite de colegas da Universidade de Hamburgo, Alemanha, que estão a desenvolver estudos do plâncton (microrganismos a deriva com as correntes) no sistema de ascensão de águas profundas junta às costas daqueles países, conhecido como Benguela Upwelling System (BUS). A missão SO285 faz parte do projetco conjunto TRAFFIC, que significa “Trophic transfer efficiency in the Benguela Current”.

O Ministério Federal da Educação e Investigação da Alemanha está a financiar o TRAFFIC com o objectivo de analisar os efeitos das alterações climáticas sobre o ecossistema marinho no Sistema de Ascensão de Benguela ao largo da Namíbia e África do Sul. O BUS está entre as regiões mais produtivas do oceano do mundo, caracterizado por elevadas taxas de rotação de CO2 e de grande relevância para a pesca.

Devido às condições pandémicas prevalecentes na Alemanha no momento da partida, as medidas contra a COVID-19, tais como regras de distanciamento, o uso de máscaras e um teste antigénio diário obrigatório, ainda estavam em vigor durante os primeiros dias. Após um teste PCR negativo, realizado a bordo a todos os participantes, foram aligeiradas algumas medidas e passou-se a fase mais habitual de trabalhos que se realizarão por turnos possibilitando trabalho de 24 horas sem paragens aproveitando ao máximo às condições excelentes do navio de investigação mais moderno da frota alemã, que entrou em serviço em 2014.

O académico Manfred Kaufmann desenvolve estudos na sua área de especialização, as plantas marinhas microscópicas, o fitoplâncton, tentando caracterizar, em conjunto com os colegas da Universidade de Hamburgo, a base da cadeia trófica naquele importante ecossistema, explica a UMa.

Mais precisamente, estuda a contribuição de dois grupos de organismos fitoplanctónicos, o primeiro denominado por picofitoplâncton, com dimensões a volta de 1 µm (1 milésimo de mm) e o segundo grupo, o nanofitoplâncton, com dimensões entre os 2 a 20 µm.

Para obter amostras destes organismos é usado um equipamento designado CTD/rosette, que permite obter amostras de água a profundidades desejadas. Estas amostras são, de um lado, analisadas directamente a bordo por um citómetro de fluxo que permite identificar, de forma indireta, vários tipos do picofitoplâncton. Do outro lado amostras de água são filtradas e os filtros examinados por microscopia de luz polarizada a uma ampliação de 1200x no laboratório MPhytoLab da UMa situada na Estação de Biologia Marinha. Estes trabalhos estão também integrados no projeto Interreg Espaço Atlântico iFADO (Innovation in the Framework of the Atlantic Deep Ocean) em que a UMa é instituição parceira.